A central de monitoramento de Petrópolis começará a ser montada até fim de janeiro. Serão instaladas câmeras em 45 pontos da cidade num primeiro momento, serviço que será feito pela empresa Emive. Nesta segunda-feira (15.01), o plano de trabalho foi apresentado ao prefeito Bernardo Rossi. O sistema de monitoramento ainda terá uma segunda etapa, alcançando monitoramento em 85 pontos.

“Graças ao empenho do pessoal da área da Segurança, nós vamos conseguir monitorar 85 pontos em toda cidade. Estamos trabalhando para deixar Petrópolis um lugar ainda mais seguro para a população e para os turistas. Vamos ter câmeras nas entradas da cidade e nos bairros. A central ainda será importante não apenas para as forças de segurança, mas também para o trânsito, para Defesa Civil, para os Bombeiros. Petrópolis será beneficiada de muitas maneiras”, afirma o prefeito Bernardo Rossi.

A central ficará num espaço de 90 metros quadrados do Centro de Cultura Raul de Leoni e vai integrar os esforços das forças de segurança (Guarda Civil, Polícia Militar, Polícia Civil), de orientação e controle de trânsito (CPTrans) e de atendimento de emergências (Defesa Civil e Bombeiros). Outros órgãos também vão poder se beneficiar da central de monitoramento, como Samu e Polícia Rodoviária Federal, por exemplo.

Serão monitorados locais como Praça de Nogueira, Praça de Corrêas, Retiro, Palácio de Cristal, 13 de Maio, Praça da Liberdade, Praça da Águia, além da Rua do Imperador, Rua Teresa, Paulo Barbosa, Praça da Inconfidência, Duas Pontes, Valparaiso, Mosela, Parque Municipal de Itaipava, Pedro do Rio, Ipiranga, Quissamã, Itamarati, Cascatinha, Montecaseros e Araras, além das entradas da cidade, no Bingen, no Quitandinha, no Alto da Serra, no Trevo de Bonsucesso e na Posse.

O plano de trabalho da Emive foi montado após a empresa fazer o mapeamento dos 45 pontos onde ela instalar câmeras. A ida a todos os pontos foi feita junto com a SSOP em dezembro. O objetivo dessa vistoria foi identificar em cada ponto o exato local onde ficarão os equipamentos, além da existência de tubulações de água, esgoto ou gás e também a proximidade com árvores. O engenheiro da empresa também esteve na sala que vai abrigar os agentes que vão acompanhar as imagens 24 horas por dia.

A empresa é de Belo Horizonte (MG) e é líder no paísno segmento de segurança eletrônica, com atuação em quase todos os estados doBrasil. No Rio, a Emive implantou os sistemas de Três Rios e Búzios, que são similares em tecnologia ao que será instalado em Petrópolis. A quantidade de câmeras que a cidade terá tornará o município um dos mais monitorados do estado, segundo o diretor de contratos da Emive, Igor Facella.

“A implantação do sistema é feita em seis etapas, começando pelo levantamento de campo, que será iniciado em 10 dias. Depois vem a instalação da infraestrutura interna e externa, em seguida a adequação da rede de transmissão de dados e aí vem a instalação de equipamentos (das câmeras). A partir disso, é feito o treinamento dos agentes que vão acompanhar as imagens e aí começa a execução do monitoramento propriamente”, explica Facella.

As câmeras gravam em 360º, em alta definição, fazem reconhecimento facial e de placas de veículos. Além delas, serão fornecidos poste de cinco metros de altura, nobreaks, rádios de comunicação, servidores de gravação de imagens, computadores, monitores, televisores, entre outros itens.

Também participaram da reunião o vice-prefeito Baninho; o secretário de Serviços, Segurança e Ordem Pública, Djalma Januzzi; o secretário de Defesa Civil, Paulo Renato Vaz; o coordenador de Segurança, Maurício Borges; o comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni; o diretor técnico-operacional da CPTrans, Luciano Moreira; o vereador Reinaldo Meirelles; o delegado da 106ª DP (Itaipava), André Lourenço – representando também o delegado da 105ª DP (Retiro), Cláudio Batista –, o subcomandante do 26º Batalhão da Polícia Militar, Thiago Fernando Sardinha e o diretor-presidente do Diário de Petrópolis, Paulo Antônio Carneiro Dias.