Cavalo solto é apreendido no Roseiral

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Agentes da Guarda Civil apreenderam um cavalo que estava solto na Rua Oliveira Bulhões, no Roseiral, no domingo (05.05). O animal foi levado para o curral de apreensões, onde será avaliado pelo veterinário da Coordenadoria de Bem-estar Animal (Cobea). O caso foi registrado na delegacia como maus-tratos a animais e um homem, que no momento em que os guardas recolhiam o cavalo se apresentou como pai do proprietário do animal, foi identificado e será chamado para prestar esclarecimentos. A Lei de Crimes Ambientais prevê pena de detenção de até um ano e multa para o responsável pelo cavalo.

“Assim que recebemos essa denúncia, enviamos uma equipe ao local para verificar a situação e imediatamente providenciamos o transporte para o curral de apreensões. Encontramos um cavalo com ferimentos grandes no corpo, amarrado em poste sem espaço para se movimentar, perto de uma lixeira, sem o menor cuidado que deveria ser dado a esse animal. Por isso foi feito o registro de maus-tratos e a investigação será feita para punir o responsável por esse crime”, disse o comandante da Guarda, Jeferson Calomeni.

Os agentes foram chamados por volta das 15h e encontraram o cavalo amarrado em um poste e sem espaço para movimento, sem água e comida, além de ferimentos. A carretinha encaminhou o animal para a delegacia – para que pudesse ser feito o RO – e, na sequência, foi levado para o curral de apreensões. Ainda no domingo, o cavalo recebeu atendimento e as primeiras medicações.

A Polícia Civil identificou o homem que apareceu na hora da apreensão pela placa da moto em que estava e agora será investigado e vai responder por maus-tratos. Elisabete Amorim, coordenadora do Bem-estar Animal da prefeitura, explica que o cavalo ainda passará por exames obrigatórios para saber o estado de saúde.

“Primeiro o cavalo passa por exames de Anemia Infecciosa Equina (AIE) e de Mormo. O resultado sendo negativo, acontece a microchipagem desse animal, dando entrada oficial no curral. No futuro, quando forem adotados, podemos acionar o dono caso aconteça novamente o abandono”, explica Elisabete.

Para evitar que casos assim aconteçam, a Cobea realiza campanha nas escolas municipais e nos bairros sobre adoção responsável e organiza evento permanente em parceria aos protetores de animais no Centro e em Itaipava. Neste ano o trabalho ganhou reforço dentro da política pública de Defesa Civil nas Escolas, que também vai tratar do bem-estar animal em sala de aula.

“As medidas permitem que os alunos de toda a rede municipal fortaleçam a compaixão e o respeito pelos animais. A criança tem o poder de levar a informação para a casa, conversando com os pais e parentes. Buscamos incentivar a adoção responsável através de campanhas e na orientação da população”, completa Elisabete.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.