Foto: Marcelo Frazão/Agência Brasil

Carnaval movimenta R$ 4 bilhões na economia do Rio de Janeiro

Número consta do relatório Carnaval de Dados.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Levantamento divulgado hoje (18) pela prefeitura carioca mostra que o carnaval movimenta R$ 4 bilhões na economia da cidade do Rio de Janeiro. O número consta do relatório Carnaval de Dados, apresentado no Palácio da Cidade. Durante o evento, o prefeito Eduardo Paes disse que a maioria das pessoas olha o carnaval como uma festa ou momento de diversão, sem refletir sobre o que o carnaval significa de fato. “E passamos a viver no Brasil um movimento de setores conservadores para acabar com o carnaval. Nós tivemos um agente político, durante quatro anos na cidade, que é a capital do carnaval brasileiro, trabalhando permanentemente para desmoralizar o carnaval. E nem pensava na economia. Vamos ter carnaval, vamos defender essa grande celebração pelo aspecto econômico e pelo aspecto cultural”, prometeu Paes.

Na ocasião, foi anunciada a realização de um mapeamento dos trabalhadores que trabalham para fazer o carnaval acontecer. Liderada pela Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento e coordenada pela Fundação João Goulart, a pesquisa busca conhecer o perfil de quem depende da data para trabalhar. Será disponibilizado, de imediato, um questionário para 43 mil trabalhadores de escolas de samba e blocos de rua, como soldadores, aderecistas, ritmistas, costureiras e ambulantes. Levantamento inicial da Fundação João Goulart identificou 75 diferentes ocupações relacionadas à festa.

O secretário de Fazenda e Planejamento, Pedro Paulo, lembrou que do ponto de vista econômico, já foi criada uma série de iniciativas para tentar proteger cadeias produtivas e enfrentar o momento difícil da pandemia da covid-19. Lembrou, entretanto, que apesar de o carnaval ter seus aspectos culturais, sentimentais, de tradição e sua história no Rio, tem um aspecto pouco explorado, que é a sua economia e seus impactos”. Com o mapeamento, o “objetivo é tentar reunir um conjunto de dados, entender essa economia para que a prefeitura possa ajudar ainda mais”, sinalizou Pedro Paulo.

Impostos

O Relatório Carnaval de Dados, feito em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação, revelou que os R$ 4 bilhões que movimentaram a economia carioca no carnaval, em 2020, representaram o dobro do valor registrado dez anos antes. “Temas importantes se destacam com o evento, como geração de renda, empregos e empreendedorismo”, comentou a presidente da Fundação João Goulart, Rafaela Bastos.

O estudo comprovou que a receita com Imposto Sobre Serviços (ISS) de serviços relacionados ao turismo é maior nos dias de folia do que em qualquer outra época do ano, alcançando R$ 25 milhões em fevereiro, contra a média mensal de R$ 21 milhões. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Chicão Bulhões, indicou que os números confirmam que o carnaval também é desenvolvimento econômico e tem impacto gigantesco na economia da cidade. “De acordo com estimativas da Confederação Nacional de Comércio (CNC), o Rio foi responsável por um terço das movimentações financeiras das atividades turísticas relacionadas ao carnaval no país, em 2020“, afirmou o secretário. Chicão Bulhões lembrou que a prefeitura lançou o programa Auxílio Ambulante Carnaval de Rua, que apoia com R$ 500 os ambulantes que trabalham no carnaval.

Foi anunciado também na ocasião o Samba Pass, projeto da Secretaria Municipal de Esporte que oferece, inicialmente, 100 vagas para mestre-sala, porta-bandeira e integrantes de comissão de frente das escolas realizarem atividades físicas na Vila Olímpica da Gamboa. O secretário de Esportes, Guilherme Schleder, informou que o atendimento começa a partir da próxima semana. “Será de terça a sábado, com dois professores de educação física, que também são mestres-salas”.

Sambódromo

O prefeito Eduardo Paes, acompanhado da secretária de Conservação, Anna Laura Secco, da presidente da Riotur, Daniela Maia, e do presidente da Rio-Urbe, Rafael Salgueiro, realizou, pela manhã, uma vistoria nas dependências do Sambódromo. A Passarela do Samba ganhou novos sistemas de drenagem, de prevenção e combate a incêndio, além da troca do asfalto da pista de desfile. Outros serviços foram feitos na Marquês de Sapucaí, como instalação de guarda-corpos, impermeabilização das lajes dos setores de arquibancada, reforço estrutural do prédio administrativo localizado no setor 1, instalação de castelo d’água no setor 7, exclusivo para casos de incêndio, e demarcação, pintada em amarelo, de rotas de fuga e assentos nas arquibancadas.

Desfiles

Em razão da pandemia da covid-19, os desfiles das escolas de samba foram transferidos para o feriado de Tiradentes, em abril. O calendário oficial do carnaval 2022, divulgado pela Riotur na semana passada, estabeleceu o seguinte cronograma: os desfiles no Sambódromo acontecerão nos dias 20 e 21/4 para a Série Ouro; 22 e 23/4, para o Grupo Especial; 24/4, desfile das crianças; e 30/4, desfile das campeãs. A apuração das escolas vencedoras será realizada na Cidade do Samba, no dia 26/4.

Já os desfiles na Estrada Intendente Magalhães preveem participação da Federação de Blocos, no dia 20/4; Grupo de Avaliação, no dia 21; Série Bronze, dia 22; Série Prata nos dias 29 e 30/4; e grupos de acesso B e C no dia 1º/5. No Terreirão do Samba, as atrações estão programadas para ocorrer entre os dias 20 e 23/4, além de 30/4.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.