O Carnaval de Petrópolis este ano será aberto em grande estilo com o resgate do tradicional Baile da Cidade, na sexta-feira, dia 9 de fevereiro. Com o tema Veneza, a folia será iniciada com um elegante baile de máscaras em um dos mais tradicionais clubes da cidade, o Petropolitano. Todo glamour tem um motivo especial: o valor arrecadado no evento será revertido para o projeto Morro das Cores, que está sendo realizado no Morro da Oficina, no Alto da Serra. Os ingressos já estão à venda.

Além do baile, Petrópolis vai contar, principalmente, com o Carnaval de bairros, focado nos blocos e atrações nas praças das comunidades, e ainda recreação infantil. Mas o Centro Histórico também ganhará movimento com o Carnaval da Liberdade, na Praça da Liberdade, e ações focadas nas crianças no Palácio de Cristal. De acordo com o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Leonardo Randolfo, o baile e toda programação foi pensada para levar cultura e entretenimento para os petropolitanos.

“O Carnaval é uma festa popular, e não poderíamos deixar de lado essa tradição, tão forte em todo país. Mas, claro, pensamos em uma festa dentro das nossas limitações e focada, principalmente, nos petropolitanos. Por isso, estamos levando cultura pros bairros e vamos abrir a programação com esse grande baile, que tem como objetivo angariar fundos para o projeto do Morro da Oficina”, destaca.

O traje para o público é social e a festa terá o capricho que o projeto merece. A madrinha do baile é a empresária Célia D’Azevêdo. Segundo ela, os ingressos já começaram a ser vendidos e não devem demorar a esgotar. “Queremos arrecadar o máximo de verba possível para esse projeto, que vai ser tão importante para Petrópolis e ainda vai servir de modelo para outras comunidades. A expectativa é de que o clube fique lotado”, destaca ela.

Serão dois ambientes. Na área VIP, que ficará no segundo andar, haverá buffet liberado com alimentos e bebidas. No salão principal, embaixo, um bar especial será montado e 30% de todo o lucro será revertido para o projeto social. “Será uma festa glamourosa, como existia antigamente, mas agora com uma causa social”, completa a empresária.

Segundo o superintendente de Cultura do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Arthur Varella, Petrópolis costumava ficar agitada no Carnaval entre as décadas de 1970 e 1980, até o início da década de 1990, com suas escolas de samba. Depois disso, a festa foi enfraquecendo e ganhou força com o surgimento dos blocos nas comunidades. “Por isso estamos apoiando agora esses movimentos nas comunidades, dando apoio logístico, para que os blocos tenham um Carnaval mais tranquilo”, explica.

Na programação, de sexta-feira (09.02) a quarta-feira de Cinzas (14.02), além do apoio aos cerca de 30 blocos interessados em participar do Carnaval na cidade, os moradores também poderão aproveitar a festa ao som de muita música, com bandas como a Serra Alegria, Trio Trincado, além de DJ e ações voltadas para as crianças, nos bairros Castelânea, Cascatinha, Mosela, Nogueira, Pedro do Rio, Posse e Alto da Serra.