Com um parente internado para uma cirurgia delicada ou passando por um tratamento prolongado como os de combate ao câncer, familiares recorrerem à capela do Hospital Alcides Carneiro, um local de introspecção e fé. Dentro do objetivo de humanização do atendimento do HAC, a maior unidade pública com 10 mil internações e 5,7 mil cirurgias por ano, dentre as quais 550 de câncer, a direção do hospital está ativando um serviço de capelania com 28 capelães voluntários que vão atuar também em outras áreas –permitidas – do hospital. A partir da próxima semana, eles vão percorrer as dependências do HAC, oferecendo apoio espiritual a pacientes e familiares e encorajá-los no tratamento.

“Estamos buscando um atendimento cada vez mais humanizado e envolvendo todas as equipes para alcançar este objetivo. Foi criada uma Comissão de Humanização, reunindo as principais chefias e que discute novas e melhores práticas como esta, da capelania, que começa na próxima semana”, o diretor administrativo do Hospital Alcides Carneiro, Leonardo Aldighieri, citando o programa federal que integra a Política Nacional de Humanização (PNH).

Na reunião desta segunda, foi apresentada aos membros da Comissão de Humanização a equipe que vai implementar a capelania no HAC. “Já tive oportunidade de conhecer o hospital em visitas a conhecidos e parentes e fiquei impressionado com a estrutura. Posso dizer que é perceptível o alto nível do trabalho desenvolvido aqui, coisa de primeiro mundo”, disse o capelão responsável pela equipe, pastor Paulo Cesar de Azevedo.

O Hospital Alcides Carneiro já tem incentivado a humanização, por meio de atividades que visam o bem-estar dos atendidos. A reunião com a capelania apresentou aos voluntários os trabalhos desenvolvidos desde a implantação da Comissão, como as ações do Agosto Dourado, que promoveu incentivo ao aleitamento materno.

“Nossas ações no Agosto Dourado foram sempre com o objetivo de trazer a ideia da campanha, que é promover o aleitamento materno, mas gerando também a união e mais alegria para mães que acabaram de ter seus filhos. Por exemplo, fizemos um trabalho com maquiagem e fotos, para elevar a autoestima delas. O retorno é muito satisfatório”, explica a enfermeira chefe da maternidade, Lorena Sabaddini.

Também foi citado o mutirão de consultas para os idosos, que teve, além dos atendimentos médicos, atividades lúdicas e de integração, com música e atividades físicas no Ambulatório da unidade. A atividade aconteceu no dia 1º de setembro e envolveu 120 idosos.

“Foi muito prazeroso perceber a alegria no olhar de cada um que esteve e pode participar das atividades extras que promovemos. Um simples ato tem o poder de mudar para melhor o dia de alguém. Queremos, também, trabalhar este sentimento entre a nossa equipe. O objetivo é transformar o dia a dia de trabalho em algo sempre mais humano, para que isso chegue da melhor forma possível aos nossos atendidos”, disse o gerente do Ambulatório do HAC, Rene Giardini.

No segundo encontro da Comissão de Humanização do Hospital Alcides Carneiro foram divulgadas, também, as próximas ações da unidade. Estão previstas, ainda para este mês, trabalhos de conscientização e prevenção ao suicídio, em apoio à campanha mundial Setembro Amarelo. Vão ocorrer, também, mutirões de consultas da Saúde da Mulher, durante o Outubro Rosa, e cirurgias urológicas no Novembro Azul.