Campanha “16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher” tem foco em escolas

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A campanha “16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher” começou na segunda-feira (26.11) em Petrópolis, e a edição desde ano tem o objetivo de focar no público escolar. As palestras de conscientização serão realizadas em várias unidades escolares do município, ministradas pela equipe do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), subordinado ao Gabinete da Cidadania. A finalidade é mobilizar o público jovem para o fim da violência contra mulher e reforçar as ações de proteção.

Nas escolas as palestras acontecem na segunda-feira (03.12), às 10h, na Escola Municipal Abelardo De Lamare, no Caxambu e às 19h no Liceu Municipal Carlos Chagas Filho, na Av. Barão do Rio Branco. Na terça-feira (04.12) às 14h, é o dia da Escola São João Batista, no Duarte da Silveira e na quarta-feira (05.12) às 13h na Escola São Judas Tadeu, na Mosela. E ainda em um encontro especial, na segunda-feira (17.11) a equipe do CRAM fará uma palestra dedicada aos pais e responsáveis na Escola Municipal Abelardo De Lamare.

“Estamos focando nas escolas com o objetivo de conscientizar os jovens. Precisamos mobilizar a todos, pois esta violência precisa acabar. As palestras dão sempre um resultado positivo, pois acaba virando uma roda de conversa. Já fizemos muitas palestras onde a vítima se sentiu acolhida e nos pediu ajuda. Esta campanha é muito importante para todo o mundo”, destacou a coordenadora do CRAM, Cleo de Marco.

Dentro da programação, na sexta-feira (30.11), acontece, às 10h, na Casa dos Conselhos uma palestra com a Assistente Social da Equipe Técnica da Gerência de Saúde da Mulher, da cidade do Rio de Janeiro, Márcia Soares, sobre a Sala Lilás, que faz parte do projeto RioSolidário, da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (COEM) do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ). A sala lilás é um local reservado para o atendimento de mulheres que foram vítimas de violência física e sexual, onde são atendidas de forma mais humanizada e acolhedora. O espaço funciona dentro do Instituto Médico Legal (IML), onde são realizados exames periciais com equipe multidisciplinar. O objetivo é que as vítimas se sintam preservadas e mais à vontade para falar sobre a violência sofrida. A sala já foi instalada em Campo Grande e em Niterói.

“Conscientização e informação são as únicas formas de terminar com qualquer tipo de violência. Precisamos da participação de todos nessa luta da igualdade do direito das mulheres”, pontuou a coordenadora do Gabinete da Cidadania, Anna Maria Rattes.

Mais de 160 países já aderiram à Campanha que teve sua primeira edição em 1991 e em 2003 no Brasil. As ações acontecem simultaneamente com a participação do poder público e da sociedade civil em prol da conscientização pelo fim da violência de gênero. O intuito é chamar a atenção da sociedade para os fatores que naturalizaram a agressão das mulheres, em especial, por companheiros, pais e parentes próximos. Além disso, mobilizar e conscientizar a população para que denuncie todos os tipos de violência praticados contra meninas e mulheres no Brasil e no mundo. A Campanha começou no dia 25 de novembro – Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e vai até 10 de dezembro –  Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.