Problema recorrente prejudica oito linhas de ônibus, provocando atrasos na operação dos coletivos

O estacionamento irregular é um dos maiores problemas encontrados na mobilidade urbana da cidade. Nos bairros, os veículos particulares ficam parados nas ruas, calçadas e áreas de manobra de retorno dos ônibus. Já no Centro Histórico, a situação acontece, inclusive, nos grandes pontos de ônibus.

Na Rua Caldas Viana, por exemplo, caminhões de carga e descarga ocupam todos os dias o espaço destinado aos coletivos. Com isso, os ônibus precisam realizar o embarque e desembarque de passageiros fora da área destinada, assim como dar voltas na Rua do Imperador, até que o espaço esteja liberado, causando atrasos e perdas de viagens.

De acordo com Márcio Santos Horto, inspetor da Viação Cascatinha, pelo menos oito linhas de ônibus são prejudicadas diariamente com o problema.

“A dificuldade é que, em alguns momentos, nós encontramos até três caminhões parados na área, chegando a ocupar dois pontos de ônibus, enquanto existe uma só vaga destinada a carga e descarga para o comércio. Com isso, os motoristas ficam impossibilitados de atender aos passageiros, chegando a dar voltas no Centro da cidade até que o problema seja resolvido”, explicou.

Na manhã de segunda-feira (11), a linha 518 – Atílio Marotti, a mais prejudicada, precisou realizar o embarque e desembarque de passageiros no meio da rua. Um caminhão havia estacionado no ponto para realizar a descarga de mercadorias.

“Estamos pedindo procedimentos simples, como a colocação das placas de ônibus nos seus devidos lugares, pintura da área destinada aos veículos no chão e atuação da Guarda Civil Municipal no local com teor fiscalizatório para coibir tais infratores. A linha Atílio Marotti sofre constantemente com o problema por ficar localizada próxima à área destinada aos caminhões. Com isso, os veículos estacionam no ponto destinado ao ônibus”, disse o inspetor.

Para o Setranspetro, é importante que haja uma regulamentação mais específica para carga e descarga em todo o município.

“Sabemos a importância do serviço. Entretanto, esperamos que sejam criadas normas e regras com relação a horários específicos, definição de espaços, além da fiscalização para combater irregularidades durante o procedimento de carga e descarga. É necessário entender que o prejuízo não é apenas para o transporte coletivo, mas também para a mobilidade como um todo”, ressaltou Carla Rivetti, gerente do Setranspetro.

Ao todo, a empresa Cascatinha conta com sete linhas de ônibus utilizando o ponto da Caldas Viana todos os dias, sendo a 511 – Boa Vista, 518 – Atílio Marotti, 520 – Fragoso, 521 – Monte Florido, 522 – Luiz Pelegrini, 523 – Alto Boa Vista e 524 – Veridiano Felix. Já a Turb Petrópolis conta com a linha 500 – Terminal Corrêas – Via Estrada da Saudade.