A Caminhada pela Vida, evento que encerraria as ações 2018 do Maio Amarelo, foi adiada e irá ocorrer durante a Semana Nacional de Trânsito, em setembro. Marcada para o último sábado (26.05), o evento chegou a ser remarcado para o fim de semana seguinte devido à grave crise de abastecimento que atingiu a todo o país alterando a rotina da população, mas devido à instabilidade que permanece, a organização do evento optou por remarcar para a semana que também é dedicada a envolver toda a sociedade na questão do trânsito.

Durante todo o mês de maio, a CPTrans realizou diversas ações para chamar atenção à causa do trânsito. Simulação de acidentes, exposição de veículos acidentados, palestras educativas, concurso de vídeos, cristalização de para-brisas, blitz educativa, entre outras ações marcaram o mês, que teve o tema “Nós Somos o Trânsito”. A intenção foi a de chamar atenção para a causa do trânsito. Pelo segundo ano consecutivo sendo organizado pela CPTrans, as ações, assim como em 2017, serão continuadas.

“O Maio Amarelo é o mês dedicado às ações de conscientização, mas não é o único. As atividades para fixar na população a mensagem de que todos nós somos responsáveis pela vida do outro no trânsito devem ser permanentes. No primeiro quadrimestre deste ano o resultado foi melhor que o ano passado e conseguimos a redução de 30% no número de vítimas de acidentes de trânsito comparado ao mesmo período do ano passado. Dados do hospital referência em trauma de Petrópolis, o Santa Teresa, indica que houve o registro de 345 entradas de vítimas na unidade de saúde em 2017, e em 2018 foram 242, uma redução de 103 vítimas neste prazo”, destaca o diretor-presidente da CPTrans, Maurinho Branco, que lamentou o adiamento da caminhada, mas pontuou que a semana do trânsito é mais uma oportunidade para evidenciar as ações de prevenção.

A Semana Nacional de Trânsito ocorre, este ano, entre os dias 18 e 25. A CPTrans já organiza atividades para a semana, onde também será inserida a Caminhada pela Vida. A semana tem o propósito de conscientizar pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas, além de promover a segurança no trânsito e a mobilidade urbana sustentável.