Acabou de ser aprovado na Câmara dos Deputados o requerimento de votação em regime de urgência para a criação do fundo eleitoral com recursos públicos. A proposta para votar no Senado será incluída na pauta desta quarta-feira (4).

O texto prevê a criação de um fundo com recursos públicos e estabelece regras para a sua distribuição entre os partidos. Não há, porém, acordo entre as legendas sobre o seu conteúdo.

Diante da falta de consenso, o plenário rejeitou na semana passada o requerimento para que esse texto fosse votado.

Mesmo sem acordo, os partidos favoráveis ao fundo, entre eles, PT, PP, PMDB, DEM, PSD e PCdoB, decidiram recorrer a um artigo do Regimento Interno da Câmara que foi usado pela última vez em 1999. Partidos contrários ao texto, como o PR e o PHS, acusaram os interessados em aprovar o fundo público de fazerem uma manobra.

O requerimento foi aprovado com 248 votos a favor e 184 contrários. Houve ainda 4 abstenções.

Os parlamentares correm contra o tempo para aprovar as mudanças porque, para valerem já nas eleições de 2018, elas precisam ser aprovadas até está sexta-feira (6), um ano antes do pleito.

Diante da proibição de doações empresarias, os políticos têm interesse em achar uma saída para bancar as suas campanhas. Nos bastidores, os deputados admitem que, se não houver fundo, a possibilidade de haver caixa dois é grande.

 

Foto: Billy Boss/Câmara dos Deputados