O vereador professor Leandro Azevedo (PSD) conseguiu aprovar, na Câmara Municipal, uma indicação legislativa que irá beneficiar toda a comunidade surda da cidade: o ensino da Língua Brasileira de Sinais – Libras, nas escolas públicas do município. A proposição já foi encaminhada ao Poder Executivo que deverá transformá-la em projeto de lei para votação dos vereadores.

“Acredito que inserindo o ensino de Libras nas escolas estaremos garantindo que os surdos e portadores de deficiência auditiva se sintam cada vez mais abraçados e incluídos na sociedade. Ela é a segunda língua oficial do Brasil e com essa medida, estaremos tornando obrigatório o ensino”, disse Leandro Azevedo.

As instituições públicas da cidade, para o vereador, precisam oferecer mais apoio e capacitação para seus profissionais no atendimento as crianças e seus familiares desde o seu nascimento. “Dessa forma estaremos garantindo que não ocorra “atraso” no início do aprendizado das crianças, pois em muitos casos elas acabam começando a se desenvolver de forma tardia”, explica o vereador.

Quando se tornam adultas as crianças ainda enfrentam outras dificuldades, como por exemplo, o atendimento em autoescolas para aprenderem a dirigir. “Tem dificuldades, inclusive nos cinemas, que não oferecem filmes legendados para a comunidade surda, bem como a dificuldade de inclusão pela própria sociedade, que na maioria das vezes não conhecem a língua”.

Acessibilidade e outros assuntos relacionados a comunidade surda também serão temas de um grande evento que está sendo preparado pelo vereador, que irá marcar a abertura do “Setembro Azul”. A ideia é conscientizar a população e sensibilizar o Poder Executivo das necessidades de toda a comunidade surda, principalmente, crianças e adolescentes.

Azevedo ressalta que projetos como filmes legendados em horários obrigatórios, autoescolas para surdos e placas informativas de “Presença da Comunidade Surda”, já estão sendo protocoladas na Câmara Municipal.

Outros dois importantes projetos apresentados por Azevedo se referem a criação do “Dia do Atleta Surdo-Olímpico” no município e da Semana Municipal de Conscientização da Pessoa com Deficiência nas Escolas da Rede de Ensino Público e Privado. “Essas conquistas foram grandes vitórias. Encampei essas lutas porque entendo que essas pessoas precisam de todo o nosso apoio. Meu objetivo é mostrar que não precisam de pena, querem apenas respeito e seus direitos garantidos.