Calouros Estácio são convidados a abraçar a causas sociais

Unidades de ensino superior da Estácio em todo o Brasil estão promovendo mais uma edição do tradicional Trote Solidário, uma ação que a mais de oito anos faz parte do Programa Boas-Vindas, implantado pela Instituição.

Milhares de calouros dos mais diversos cursos da Estácio iniciaram sua jornada rumo à conquista de um diploma universitário em março. Para marcar este momento a instituição quer proporcionar, na prática, um aprendizado que pode e deve ser cada vez mais ampliado, a solidariedade. Unidades de ensino superior da Estácio em todo o Brasil estão promovendo mais uma edição do tradicional Trote Solidário, uma ação que a mais de oito anos faz parte do Programa Boas-Vindas, implantado pela Instituição.

Nesta edição, a ação é destinada a abraçar a causa do Hospital Pequeno Príncipe, maior hospital pediátrico do Brasil, reconhecido por transformar a vida de crianças e adolescentes de todos os estados brasileiros. Os calouros e veteranos da instituição poderão acessar a plataforma bit.ly/trotesolidario2021 em que já é possível realizar doações, a partir de R$10,00 , durante todo o mês de abril, até o dia 30.

Na Estácio Teresópolis foi desenvolvido o projeto Estácio Presente, que está arrecadando roupas novas e usadas (em bom estado), tamanho adulto e infantil, além de roupas de cama, mesa e banho, para o Lar Tia Anastácia e Creche da Coréia, também até o próximo dia 30. A doação deve ser entregue da biblioteca da unidade, que fica na Rua Nilza Chiapeta Fadigas, nº 488, na Várzea.

Para Alessandra Monteiro, diretora da Estácio Teresópolis, o aluno que inicia uma graduação está bastante entusiasmado em dar os primeiros passos rumo a um futuro de múltiplas possibilidades, sendo o momento ideal para lembrar que, mesmo como estudante, ele também pode contribuir para o futuro de muitas pessoas.
“Estamos vivendo momentos difíceis e nosso papel como instituição de ensino que se preocupada com a comunidade e toda população de Teresópolis é servir, ajudar e buscar mecanismos para cuidar daqueles que estão precisando. Esse é nosso papel, concretizar nossa missão de educar para transformar em todas as nossas ações. Nossos colaboradores administrativos, docentes e alunos estão imbuídos dessa missão e juntos estamos abraçando essa causa”, afirma.

Para a diretora executiva da instituição, Ety Cristina Forte Carneiro, os recursos vão ajudar o Hospital a superar os desafios da pandemia. O Pequeno Príncipe se preparou para a enfrentar o coronavírus e não deixou de atender as emergências e os pacientes crônicos, já em tratamento.

“Nós contamos com o apoio de pessoas e empresas para continuar transformando a vida de milhares de crianças. Ao longo de mais de 100 anos, temos o privilégio de reunir apoiadores que compreendem a importância da causa da saúde infantojuvenil e isso é um privilégio alcançado com muito trabalho, pela nossa missão de proteger as crianças por meio da assistência, do ensino, da pesquisa e da mobilização social, fortalecendo o núcleo familiar”, explica a diretoria executiva.

Filantrópica e referência nacional em procedimentos de média e alta complexidade em 32 especialidades, o Pequeno Príncipe, disponibiliza 384 leitos, sendo 68 em UTIs, e destina de 70% da sua capacidade para o Sistema Único de Saúde (SUS), seguindo a diretriz de oferecer tratamento integral e humanizado, independentemente se são pacientes provenientes do sistema público ou de convênios. Em 2020, mesmo com a pandemia, os procedimentos de alta complexidade foram mantidos e 247 transplantes foram realizados – 61 de medula óssea. Além disso, foram realizadas outras 12.233 cirurgias.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também