Uma operação conjunta entre o grupamento de cães da Guarda Civil e o 26º Batalhão da Polícia Militar terminou com 422 papelotes de cocaína e nove embalagens de maconha apreendidas no Atílio Marotti. Um homem, apontado como chefe do tráfico de drogas na região, foi detido em flagrante. A ação aconteceu na manhã desta sexta-feira (12.01) e contou com a participação de dois animais do canil municipal, de quatro guardas, do coordenador técnico do canil e 17 PMs. Uma equipe de socorristas dos Bombeiros também estava de sobreaviso caso houvesse necessidade.

A Polícia Militar realizou nesta semana operações para coibir o tráfico de drogas em algumas comunidades em Petrópolis. No Atílio Marotti, 22 papelotes de cocaína e nove embalagens de maconha foram encontrados com um homem apontado como líder do tráfico de drogas no bairro e que foi detido. Os moradores indicaram que havia mais drogas escondidas em uma mata próxima ao local da prisão. Os cães da Guarda Civil ajudaram a encontrar o restante do entorpecente.

“A participação do canil foi fundamental para o sucesso desta última etapa da operação. Foram os cães que conseguiram localizar as drogas escondidas. Não foi a primeira vez que tivemos a oportunidade de trabalharmos com o canil e sempre com excelentes resultados”, afirmou o subcomandante do 26º BPM, Thiago Fernando Sardinha.

Inaugurado em abril do ano passado, o canil da Guarda realiza operações para encontrar drogas e armas em apoio a PM e demais forças policiais. Mais de 25 mil pinos de cocaína e cinco quilos de maconha já foram localizados por dois pastores holandeses que fazem a detecção de entorpecentes, armamento e munições.

“Os cães são uma ferramenta importantíssima para ajudar a combater o tráfico de drogas na nossa cidade. Nós já fizemos outras operações em conjunto com a PM e o canil continua à disposição para impedir este crime em Petrópolis”, diz o comandante da Guarda, Jeferson Calomeni.

O grupamento de cães da Guarda ainda tem mais seis animais (dois rottweiler e quatro pastores belga-malinois) que são utilizados para controle tático (impedir de brigas e confusões em eventos, por exemplo). Outros quatro pastores belga-malinois estão sendo treinados, sendo dois para resgate em escombros e o restante para controle tático. Onze pessoas cuidam do canil, além de parceiros que fornecem medicamentos, alimentos e atendimento veterinário de rotina e emergência.