O prédio do Hospital Municipal da Criança Dr. Augusto Benigno de Melo, situado à Av. Adolfo Beranger Júnior, no bairro Guarani, sofreu invasão e depredação na noite desta terça-feira (24). Segundo moradores que acionaram as autoridades, várias pessoas entraram para vandalizar a unidade. O Hospital está fechado e abandonado pelo antigo governo municipal desde 2016. Representantes da Prefeitura Municipal e da Polícia Militar estiveram no local, mas não houve flagrante. O cenário encontrado foi de total desordem.

Na manhã desta quarta-feira (25), uma equipe da Secretaria de Assistência Social esteve no local. De acordo com a secretária Marta Bastos, que coordenou pessoalmente a inspeção, o objetivo foi verificar se havia pessoas em situação de rua no Hospital e, a partir de abordagens, definir a melhor forma de acolhimento.

“Quando recebemos informações sobre as condições do Hospital da Criança e possível envolvimento de pessoas em situação de rua no caso, de imediato reunimos equipe técnica e nos dirigimos ao local. No entanto verificamos que o prédio está vazio e não apresenta vestígios de ocupação por pessoas nessas condições que, normalmente, deixam roupas, cobertores e outros objetos nos espaços que utilizam como abrigo. De qualquer forma estamos atentos e acionamos nossa equipe especializada em atendimentos de média e alta complexidade em vulnerabilidade social e, se for o caso, estamos prontos para o acolhimento provisório na Casa de Passagem”, afirmou a secretária.

Vinculada ao Departamento de Proteção Social Especial (Depse) da Secretaria de Assistência Social, a Casa atua com equipe multidisciplinar composta por assistentes sociais, psicólogos e cuidadores. A unidade é o órgão público municipal destinado ao acolhimento provisório de pessoas em situação de rua. O equipamento funciona 24 horas por dia na rua Curitiba, nº 4, Jardim Olinda.

“A população pode colaborar com informações, mas é importante lembrar que para agir nos casos relatados a unidade tem que respeitar a legislação específica que protege as pessoas em situação de rua, principalmente a livre escolha de cada um de acordo com as normas constitucionais. O objetivo da Casa de Passagem é ofertar um atendimento qualificado para promover, de forma conjunta com o usuário, o processo de saída das ruas com dignidade e a recuperação da autonomia”, explica a diretora do Depse, Kathleen de Sá Teixeira.

Fonte: Prefeitura de Cabo Frio

Crédito da foto: Divulgação / Ascom PMCF