Butantan envia documentos à Anvisa para testar soro anti-Covid em humanos

O soro tem como objetivo amenizar os sintomas da doença nas pessoas já infectadas.

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, disse nesta quarta-feira (24) que o Instituto concluiu o envio dos documentos exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na solicitação para realizar um estudo clínico do soro anti-Covid, desenvolvido pelo instituto desde o ano passado a partir do plasma de cavalos.

“Nós já tivemos duas rodadas de exigências da Anvisa, ontem à noite nós completamos essa segunda rodada. Então, neste momento, não temos nenhum documento pendente. E aguardamos a aprovação da Anvisa”, afirmou Dimas Covas.

A expectativa do Butantan é a de conseguir a liberação até sexta-feira (26). O instituto possuiu 3 mil frascos prontos para o início dos testes. A autorização permitirá que o soro seja aplicado em pessoas contaminadas pela doença para que se descubra qual a dose necessária para obter os efeitos desejados.

O pedido foi feito no início de março à Anvisa. Semanas após a solicitação, a Agência alegou falta de informação e cobrou mais dados do Instituto.

O soro tem como objetivo amenizar os sintomas da doença nas pessoas já infectadas. Ele não é capaz de curar e nem prevenir a Covid.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

Alerj discutirá saúde dos petroleiros

Durante o encontro, também serão discutidos os movimentos de privatização das estatais, pelos governos federal e estadual, e a desindustrialização no Estado do Rio de Janeiros e seus impactos.