Por Guilherme Nascimento Oliveira

 

O mundial de ginástica artística, disputado neste ano na cidade de Montreal, no Canadá, teve saldo positivo para o Brasil: três atletas chegaram as finais individuais, Arthur Zanetti, medalhista de ouro nas argolas nos jogos olímpicos de Londres, Caio Souza no individual geral, que reúne todos os exercícios feitos em aparelhos mais o solo e Thaís Fidélis, representante feminina que com apenas 16 anos que por pouco não consegue uma medalha em sua estreia na elite deste esporte.

Zanetti reclamou das regras do campeonato que na avaliação dele priorizam o espetáculo, mas dificultam excessivamente os exercícios e colocam os atletas sob risco de lesão, o país prepara-se para os jogos Pan-Americanos de 2019 que serão disputados em Lima, capital do Peru, além das olimpíadas de Tóquio em 2020, tendo grandes esperanças de medalhas na nova geração de ginastas brasileiros.

 

Sobre Guilherme Nascimento Oliveira

Guilherme Oliveira é o mais recente colaborador do Portal Giro, graduando em História na UNIRIO, foi atleta, jogador de futebol no Petropolitano Foot-Ball Club, no atua com mídia esportiva desde 2013, é repórter e comentarista de esportes diversos, principalmente no futebol e no automobilismo.