O botijão de gás de cozinha fica mais caro a partir desta quarta-feira (11/10). O preço é do vasilhame de 13 quilos de GLP. A Petrobras anunciou nesta terça-feira (10/10) o reajuste de 12,9%, em média, do produto. É a quarta alta consecutiva, acumulando elevação de 44,8% nos últimos dois meses.

O ajuste foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos. Segundo a Petrobras, as revisões feitas nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá do repasse das distribuidoras e revendedores. Se for integralmente repassado aos clientes, a estatal estima que o valor do botijão suba 5,1%, em média, ou cerca de R$ 3,09 por botijão.

O preço médio do gás no Município do Rio, de acordo com pesquisa da ANP, entre 1º e 7 de outubro, era de R$ 69,89. Com a correção vai subir para R$ 73,45. Já o valor máximo detectado foi de R$ 85. E com o aumento vai a R$ 89,33.

No entanto, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) acredita que o aumento do preço do botijão de GLP terá um impacto entre 7,8% e 15,4% de reajuste, dependendo do local em que é vendido.

A entidade afirmou que a correção aplicada não repassa integralmente a variação de preços do mercado internacional e, com isso, o combustível registra uma defasagem de 6,08% em relação ao preço do produto importado. De acordo com o Sindigás, essa defasagem inibe investimentos privados em infraestrutura no setor de abastecimento.

Fonte: Jornal O Maricá