© Reuters/Ricardo Moraes/Direitos Reservados

Bombeiros resgatam criança sem vida de escombros do desabamento no Rio

Socorristas ainda buscam homem de 30 anos que está soterrado
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O secretário de Estado de Defesa Civil do Rio de Janeiro e comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Leandro Monteiro, informou que uma menina com idade entre 2 e 3 anos foi retirada sem vida dos escombros do desabamento do prédio na comunidade Rio das Pedras, na zona oeste do Rio.

O corpo da criança, segundo o coronel, foi levado para o Instituto Miguel Couto, na zona norte do Rio. O coronel informou que o trabalho dos bombeiros continua para resgatar um homem de aproximadamente 30 anos que, segundo a vítima retirada durante a manhã, também está soterrado. “Não posso informar se a vítima está com vida ou sem vida. É um lugar de difícil acesso, mas acredito que nos próximos minutos terei uma informação mais concreta para passar para vocês”, disse em entrevista no local.

“A vítima que acabou de ser removida informou que estava acompanhada de um adulto de aproximadamente 30 anos e de uma criança. A criança a gente conseguiu localizar. A vítima foi encaminhada para o hospital e agora [estamos] em busca do adulto masculino no mesmo cômodo”, completou.

O secretário disse ainda que a estratégia de trabalho a partir de agora é utilizar os cães farejadores treinados para operações de resgate, além de remoção cuidadosa dos escombros. “Estamos removendo com muito cuidado, porque corre o risco de um novo desabamento. Tem prédios ao lado do prédio que foi afetado, são vidas que estão ali, são bombeiros que estão colocando a vida em risco , então, a gente está trabalhando com muita cautela, muita calma para gente tentar localizar essa possível vítima”, informou.

Atendimento

A Secretaria Municipal de Saúde informou que quatro vítimas do desabamento deram entrada em hospitais da rede municipal. Entre as três pessoas que foram levadas para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, duas delas já tiveram alta. 

Uma mulher de 28 anos permanece sob cuidados na unidade, com quadro estável. Já a mulher resgatada dos escombros e levada para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, zona sul da cidade, passa por avaliação e exames na unidade.

A Secretaria Municipal de Habitação (SMH) informou que o imóvel que desabou em Rio das Pedras, na madrugada desta quinta-feira, era irregular. De acordo com a Prefeitura do Rio, a equipe da SMH está no local para prestar o atendimento necessário às famílias.

Polícia Civil

O inquérito para apurar as circunstâncias do desabamento do prédio na comunidade Rio das Pedras que foi instaurado pela 32ª DP (Taquara) foi transferido para a 16ª DP, que é a delegacia responsável pela área onde se localiza a comunidade. Equipes da Polícia Civil estão no local para identificar testemunhas e vítimas. A perícia será realizada no local assim que os bombeiros terminarem o trabalho.

Equipes

Várias equipes de diferentes órgãos atuam no local. O trabalho é feito por agentes do Centro de Operações da Prefeitura (COR), do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar, da concessionária de energia Light, da Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio (CET-Rio), da Defesa Civil e da Guarda Municipal. “Foram acionadas ainda equipes da concessionária de gás Naturgy, Comlurb, Subprefeitura de Jacarepaguá, Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (Seconserva), Secretaria de Ordem Pública, Secretaria de Infraestrutura e Secretaria Municipal de Assistência Social”, completou em nota a Prefeitura do Rio.

Ainda conforme a prefeitura, técnicos da Defesa Civil Municipal avaliam os danos que foram causados em outras quatro edificações, uma à direita e três à frente do imóvel que desabou e se serão necessárias outras interdições. A Defesa Civil faz a avaliação da estrutura dos prédios atingidos.

Também no local, a Secretaria Municipal de Assistência Social montou um ponto de acolhimento para o atendimento das famílias.

Fonte: Agência Brasil

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.