Os chefes de Estado da Venezuela e de Cuba foram desconvidados para a cerimônia de posse, em 1º de janeiro, em Brasília.

Segundo o Itamaraty, a pasta recebeu inicialmente do governo eleito a recomendação de que todos os chefes de Estado dos países com os quais o Brasil mantém relações diplomáticas deveriam ser convidados.

Em um segundo momento, o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) deu ordens ao Ministério de Relações Exteriores para que desconvidasse os líderes Nicolás Maduro, da Venezuela, e Miguel Díaz-Canel, de Cuba.

A decisão de desconvidar os chefes de Estado das duas nações é inédita nas relações exteriores do Brasil pós-redemocratização. O recuo, considerado extremamente deselegante do ponto de vista diplomático, vai contra a tradição brasileira de enviar convites a todas as nações com que o Brasil mantém relações, até mesmo aquelas com governos autoritários.

Crédito da foto: Reuters