Projetos para o desenvolvimento de Petrópolis e que podem ser financiados pelo BNDES foram apresentados a técnicos do Banco de Desenvolvimento pelas pastas de Cultura, Turismo, Transporte e Desenvolvimento Econômico. Pela primeira vez técnicos do BNDES ligados à presidência do Banco mostraram, em uma reunião técnica de trabalho, como obter os financiamentos e também conheceram os projetos que podem ter aplicação de recursos com linhas especiais de financiamento. A reunião foi realizada nesta quinta-feira (18.01) na sede da prefeitura com a presença de José Talarico, assessor especial da presidência do BNDES. “Petrópolis é uma cidade importante e é fundamental essa aproximação com o Banco. É uma oportunidade para nós, também”.

O encontro foi aberto pelo vice-prefeito Baninho, representando o prefeito Bernardo Rossi, e teve a participação do secretário Chefe de gabinete, Renan Campos, dos secretários municipais Heitor Maciel (Fazenda) e Marcus von Seehausen (Administração), além do diretor presidente do Instituto de Cultura e Esportes, Leonardo Randolfo; do presidente da CPTrans, Maurinho Branc;, do procurador geral do município, Sebastião Médici e de representantes das secretarias de Obras e Planejamento Estratégico.

À frente da Cultura, Leonardo Randolfo apresentou um projeto que prevê a reforma completa do Centro de Cultura Raul de Leoni, incluindo as galerias, Biblioteca Municipal, teatro, digitalização de obras raras da biblioteca e modernização dos equipamentos. Já a equipe da CPTrans mostrou o Plano Integrado de Mobilidade Urbana que prevê a implantação de meios otimizadores no sistema de transporte, criação de pontos de transferências em localidades com grande número de linhas e corredores operacionais, além da ligação Bingen-Quitandinha e reforma dos terminais rodoviários.

A Secretaria de Obras apontou a necessidade de prevenção de desastres naturais (contenções) e compra de maquinário. Já a Secretaria de Desenvolvimento Econômico abordou os projetos de construção de um centro de convenções, a da Cooperativa de Processamento Alimentar, a criação de um polo de audiovisual, a implantação do projeto “Cidade Inteligente”, Energia limpa e atualização dos sistemas de informação da prefeitura. A Secretaria de Fazenda solicitou informações sobre a possibilidade da captação de recursos para pagamento de precatórios do município.

“Agradecemos ao BNDES que prontamente respondeu ao pedido do prefeito Bernardo Rossi e trouxe sua equipe até Petrópolis. Vivemos muitas dificuldades no último ano, mas temos projetos importantes que desejamos colocar em pratica para promover melhorias não só na prestação de serviços da prefeitura, mas, também, obras e revitalizações que ficarão na história da cidade”, explicou o vice-prefeito, Baninho.

Na ocasião, o secretário de Administração, Marcus Von Seehausen, explicou que, uma comissão foi montada com integrantes do BNDES e prefeitura municipal com o objetivo de estudar os projetos criados pelas secretarias e as chances de viabilização de financiamento por parte do BNDES.

“Essa é uma primeira reunião para que as equipes conheçam os projetos. Outras serão marcadas, com os representantes de cada área para um melhor entendimento de cada projeto e alinhamento do pedido de financiamento”.

O assessor especial da presidência do BNDES, José Talarico, agradeceu a recepção da prefeitura e disse que a equipe técnica do banco está à disposição para ajudar na implantação dos projetos. “O BNDES tem linhas de crédito para micro e pequenos empresários, mas, também, está colocando em pratica a filosofia de que o banco tem que estar onde a sua ajuda é necessária, por isso é muito bom estar aqui, conversando sobre projetos que podem ajudar a Petrópolis”.

A equipe técnica do BNDES, formada por Luciane Gorgulho – chefe do Departamento de Economia da Cultura e Camila Sumiê, do Programa BNDES nos municípios mostraram de que forma os secretários podem solicitar o financiamento para os projetos. “A recuperação de acervos de época é uma ótima iniciativa. O departamento de economia de cultura tem como missão promover o desenvolvimento do país por meio dos instrumentos que utilizam a cultura”, explicou Luciane.

Camila Sumiê explicou que o BNDES financia os tipos de projetos apresentados e orientou a equipe a escolher os projetos mais importantes, priorizando as necessidades. “O impacto social de cada projeto deve ser levado em consideração. Em outras reuniões vamos nos aprofundar nos projetos e discutir a viabilidade de cada um”.