O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 51,3 milhões para investimentos da Riozoo Zoológico do Rio de Janeiro S/A (RioZoo) na reestruturação e modernização do Jardim Zoológico Municipal do Rio de Janeiro, localizado na Quinta da Boa Vista. O financiamento do BNDES representa 78,4% do investimento total do projeto, no valor de R$ 65,4 milhões.

Os investimentos da RioZoo, sociedade de propósito específico (SPE) criada para administrar o Jardim Zoológico, concedido pela Prefeitura do Rio em 2016, irão promover uma mudança conceitual no espaço: a lógica “de colecionador”, em que a fauna é exibida em espaços reduzidos, será substituída pelo conceito de “enclausuramento inverso”, com a expansão das áreas dedicadas aos animais e a reprodução de seus habitats.

Entre as melhorias previstas estão a implantação de novas atrações, a expansão das áreas dedicadas aos animais e a reforma das áreas de alimentação e lazer, auditório e hospital veterinário. O projeto prevê visitação gratuita para escolas públicas municipais e realização de pesquisas em restauração ambiental e reintrodução de fauna e  ações de educação com escolas.

Rio de Janeiro – A reestruturação do zoológico contribuirá para aumentar sua atratividade, não só para os cidadãos cariocas, mas reforçará o “capital turístico” da cidade do Rio de Janeiro, que é um dos principais destinos do turismo de lazer na América do Sul. O projeto engloba ainda ações de educação ambiental e de desenvolvimento de bancos de dados para preservação ambiental, contribuindo indiretamente para a promoção da sustentabilidade.

Projeto – Estão previstos no projeto da RioZoo investimentos em infraestrutura, implantação de novas atrações, melhoria do plantel com expansão das áreas dedicadas aos animais, além de reforma de alguns ambientes (incluindo áreas de alimentação, lazer, auditório e hospital veterinário).

Todas as áreas expositivas serão modificadas e os recintos serão reconfigurados com base no conceito de “enclausuramento inverso”. Na utilização desta técnica, o visitante é que se encontra “enclausurado”, e a ideia é que o animal se sinta cada vez mais livre no seu recinto, podendo agir e expressar-se da maneira natural.

Grupo – O Grupo Cataratas possui experiência em exploração de outros empreendimentos turísticos e sua atuação na cidade do Rio de Janeiro (AquaRIO e Paineiras) possibilitará sinergias, podendo fortalecer o turismo da cidade do Rio de Janeiro. A empresa firmou parcerias com instituições de pesquisa para desenvolvimento de estudos de reprodução e proteção de espécies ameaçadas de extinção, e sua reinserção no habitat natural.

Fonte: BNDES