O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) anunciou na tarde desta terça-feira a liberação de R$4 bilhões para serem aplicados na segurança de estados e municípios. Os recursos serão usados para a aquisição de viaturas, coletes à prova de balas e armas de choque. Os estados e municípios interessados deverão procurar o Ministério da Segurança Pública.

Mesmo sob intervenção federal e em regime de recuperação fiscal, o Rio de Janeiro poderá buscar os recursos. No entanto, a captação não poderá ser feita diretamente com o BNDES, já que o estado está inadimplente, mas sim com agentes financeiros parceiros. O anúncio foi feito na sede do BNDES, no Centro, na presença do presidente do banco, Dyego Oliveira, e do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.

O programa tem vigência prevista até o final de 2019 e prazo de pagamento de até 84 meses, com carência de até dois anos. Não haverá contrapartida de estados e municípios. A participação do BNDES será de 100%. O custo financeiro da linha de crédito será de 0,9% ao ano pelo BNDES, mais as taxas de intermediação financeira e a remuneração do agente financeiro, a ser negociada caso a caso com o repassador.

Ao fim da coletiva, Jungmann não quis comentar sobre o andamento das investigações das mortes da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, assassinados no bairro do Estácio, na Zona Norte, após saírem de um evento na Lapa, em março deste ano.

Fonte: EXTRA