Bichectomia: técnica que remove gorduras da bochecha proporcionando o efeito “blush”

A técnica é simples e tem efeito duradouro, ou seja, uma vez retirado o excesso de gordura não é preciso fazer novos retoques ou refazer a cirurgia.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A bichectomia, que remove gorduras da bochecha proporcionando o efeito “blush”, é um procedimento muito falado hoje em dia e que tem levado muitas pessoas a procurarem especialistas para tirarem dúvidas. A técnica é simples e tem efeito duradouro, ou seja, uma vez retirado o excesso de gordura não é preciso fazer novos retoques ou refazer a cirurgia.

“Muito tem se falado sobre esse procedimento hoje em dia. Essa técnica começou com uma indicação cirúrgica para quem tem essas bolas de gordura e como consequência acabam mordendo as bochechas durante a fala ou mastigação”, explicou o tenente do exército e Cirurgião Bucomaxilofacial, Eduardo de Freitas Coutinho. “Quando esses procedimentos começaram viram que a parte estética também era beneficiada, porque uma vez retirando esse excesso de gordura das bochechas o rosto ficava mais harmônico formando essa linha do ‘blush’. Além de um rosto mais harmonioso aumentava a autoestima dos pacientes”, frisou.

O nome do procedimento vem do anatomista francês Marie François Xavier Bichat, que batiza as “bolas de Bichat, que são dois grupos bem definidos de gordura, localizados uma em cada bochecha, logo abaixo das maçãs do rosto. Elas não têm nenhuma função específica além de dar volume à área. Na infância, essas gorduras têm um maior volume, criando o contorno facial arredondado ou oval típico de um bebê. “Quando a pessoa ainda é um bebê, essas ‘bolas’ tem finalidade de ajudar na sucção durante a amamentação. No entanto, após esse período, ela não tem mais função. Uma vez retiradas essas gorduras nunca mais voltam”, ressaltou Eduardo.

A cirurgia é um procedimento simples, mas precisa ser realizada por um especialista da área. A técnica pode ser feita no consultório odontológico com anestesia local e dura de 30 a 50 minutos. Os resultados aparecem em 90 dias.

“A recuperação é comparada a extração de um siso, podendo haver inchaço no local. É preciso fazer repouso, ter uma boa alimentação e usar compressas geladas nos primeiros dias. Também é contraindicado fazer atividades físicas e tomar sol”, recomendou Eduardo.

Nascido em Teresópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, Eduardo de Freitas Coutinho, ingressou aos 16 anos na faculdade de odontologia. Aos 21 anos começou residência em cirurgia e traumatologia bucomaxilo facial e, durante três anos, fez residência em cirurgia, atuando com todo tipo de trauma de face, lesões, disfunções maxilofaciais.

Após o término da residência continuou atuando com cirurgia e estudando para concursos. Atualmente ele é tenente do exército brasileiro e trabalha no mais antigo hospital da América Latina, tratando de casos de altíssima complexidade. Com a sua carreira cirúrgica consolidada, ele resolveu expandir sua área de atendimento, ingressando na harmonização facial, que se tornou sua nova paixão.

Finalizando seu mestrado na Universidade federal Fluminense (UFF), Eduardo ainda atua como professor na residência multiprofissional em oncologia e em cursos de harmonização facial. Atuante na região da Tijuca, no Rio de Janeiro, o Cirurgião Bucomaxilofacial agora também atende em Petrópolis, em um consultório situado no Edifício Central, na Rua 16 de março. Mais informações podem ser obtidas pelo Instagram (@dr.Eduardocoutinho) ou pelo telefone (21) 97192-2012.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.