O show feito por Beth Carvalho na cidade do Rio de Janeiro (RJ) na noite deste sábado, 1º de setembro de 2018, foi comovente. O feito heroico e histórico, pelo ineditismo mundial de uma cantora se apresentar deitada por conta de problemas de saúde.

Beth Carvalho está com a mobilidade cada vez mais reduzida pelos efeitos de doença que há cerca de dez anos corrói a coluna da artista.

Somente um samba – Marcando bobeira (João Quadrado, Beto Sem Braço e Dão, 1978), alocado na abertura do show – foi cantado com Beth sentada. A partir do segundo número, o partido alto Ô Isaura (Rubens da Mangueira, 1978), a cantora deitou no chaise longue, sofá-cama alocado ao centro do palco da casa carioca KM de Vantagens Hall, para desfiar pérolas do pagode lapidadas na quadra do bloco Cacique de Ramos, celeiro dos bambas que se fizeram ouvir nas próprias vozes a partir da década de 1980.

O figurino usado por Beth reproduziu o modelo do vestido usado na foto da capa do álbum de 1978.

Mesmo deitada, com a voz já desgastada pelo tempo, a cantora achou o tom e – mesmo lendo as letras no teleprompter – fez com que ficasse bom outra vez um cantar referencial no mundo do samba.

E o que se viu e ouviu na noite de ontem, no palco da casa KM de Vantagens Hall, foi show memorável, em que Beth se superou e cantou sambas que há muito não cantava.

Fonte: G1

Crédito da foto: Mauro Ferreira / G1