Beach Tennis vira febre e prática requer cuidado para evitar lesões

Ombro é uma das regiões mais impactadas
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Apesar de ter chegado ao Brasil em 2008, somente nos últimos anos o Beach Tennis vem se consolidando e ganhando espaço no país. Tem sido cada vez mais comum a abertura de quadras nas regiões urbanas de diversos estados como São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, entre outros. Mais do que lazer, a prática esportiva traz muitos benefícios para saúde, como o fortalecimento muscular e o ganho de condicionamento físico. No entanto, é uma atividade que demanda muito da estrutura do corpo e pode levar a lesões, principalmente se praticado de maneira incorreta, na região do ombro e cotovelo. Entre as principais lesões sofridas pelos praticantes do Beach Tennis estão as tendinopatias, como a tendinite do manguito rotador, também conhecida como “Ombro de Tenista”, explica o Dr. Luis Alfredo Gomez, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo (SBCOC). O manguito rotador é um grupo de quatro unidades músculo-tendão que envolve a articulação do ombro “A tendinopatia é um problema no tendão, sendo a mais comum a tendinite do ombro, que é a inflamação destas estruturas. O Beach Tennis demanda uma sobrecarga nos membros superiores e, quando a atividade não é feita de maneira correta, as chances de o esporte exigir um esforço excessivo é muito maior, podendo ocasionar uma tendinopatia”, fala o especialista. Os tendões são formados de tecido fibroso e ligam o músculo ao osso, auxiliando o movimento. “A tendinite ocorre, principalmente, em função do uso excessivo do ombro e do cotovelo ou à movimentação errada destas estruturas”, salienta. SintomasAlém de dor nos ombros, os sintomas do “Ombro de Tenista” envolvem sensibilidade ao tentar alcançar algo acima da cabeça ou nas costas; dificuldade em atingir todos os movimentos dos ombros e/ou de dormir sobre o ombro afetado; fraqueza progressiva nos membros e inchaço local. Tratamento Ao sentir desconforto ou algum outro sinal anormal, um ortopedista que atue na área da cirurgia do ombro deve ser procurado para o diagnóstico e tratamento correto. Inicialmente, a pessoa precisará parar a prática esportiva, temporariamente. Na fase aguda, são prescritos analgésicos e anti-inflamatório, além de fisioterapia. “Nos casos mais graves, em que o tratamento instituído não tem sucesso, é indicada cirurgia”, pontua, completando: “Para prevenir problemas na prática do esporte, é necessário treinar de forma correta e com orientação profissional e, ainda, respeitar o próprio limite”, conclui o presidente da SBCOC.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.