Foto: Divulgação / Prefeitura de Petrópolis

Autoridades petropolitanas se reúnem com MPRJ E MPF para adotar medidas contra o Coronavírus

Reunião entre Ministérios do estado do Rio e do Brasil aconteceu na última quarta-feira (17)
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Petrópolis, em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF), realizou, na última quarta-feira (17), nova reunião com autoridades do município de Petrópolis para tratar de assuntos referentes às medidas para enfrentamento ao novo Coronavírus na cidade.

A promotora de Justiça Vanessa Katz ressaltou que o agravamento da crise sanitária exige a adoção de medidas mais restritivas, especialmente em relação a atividades que geram aglomerações e permitem que as pessoas fiquem sem máscaras. Destacou, ainda, que o MPRJ já requereu na Justiça o aumento da frota de ônibus na cidade, com objetivo de diminuir a lotação no transporte coletivo. O MPRJ e o MPF também lembraram que já vinham alertando para a necessidade de providências para evitar a ocorrência de desabastecimento de oxigênio e medicamentos do kit intubação.

Os representantes dos Hospitais UNIMED e SMH e da Secretaria Municipal de Saúde informaram, na reunião, que enfrentam dificuldade para contratação de médicos e outros profissionais de saúde para abrir mais leitos para tratamento de Covid-19. Ambos os hospitais confirmaram expressivo aumento no número de atendimentos a casos respiratórios, bem como do número de tomografias positivas para covid, informando que estão com a lotação máxima de leitos.

“Estamos em colapso e com enorme dificuldade de expandir o número de leitos, tanto públicos como privados, em razão da falta de profissionais de saúde. As equipes médicas estão esgotadas, física e mentalmente. O Ministério Público quer reforçar que, sem o engajamento da população, vamos perder mais e mais vidas. É preciso estar consciente sobre a necessidade do uso da máscara e de se evitar aglomerações”, afirmou a promotora de Justiça Vanessa Katz.

Ao final do encontro, foi definido que o município de Petrópolis encaminhará ao MPRJ e ao MPF as medidas alternativas ao lockdown, visando diminuir as taxas de transmissão da Covid-19, justificando ainda, com base nos dados epidemiológicos e de ocupação de leitos, a decisão de não decretá-lo. Foi acordado, ainda, que o município de Petrópolis enviará dados atualizados sobre vacinação, planejamento para utilização das sobras nos frascos, casos suspeitos, atendimentos, comparativos de novos casos, número de testes aplicados, entre outras informações para o acompanhamento realizado pelos Ministérios Públicos.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.