Audiência pública vai debater a criação de Floresta Municipal no Quitandinha

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A Secretaria de Meio Ambiente vai promover uma audiência pública no dia 31 de julho para apresentar o projeto de criação da Floresta Municipal do Quitandinha. A reunião acontece no CIEP Municipalizado Santos Dumont, no Independência, de 19h às 21h. Participam entidades da sociedade civil, órgãos públicos de âmbito municipal, estadual e federal, além dos moradores de toda a região, principais interessados na novidade. Serão mais 5,9 hectares preservados em uma área localizada na Rua Ângelo João Brant, no Quarteirão Italiano.

A Floresta Municipal é uma categoria de Unidade de Conservação (UC) que tem como objetivo básico o uso múltiplo sustentável dos recursos florestais e a pesquisa científica. Na audiência pública, a prefeitura vai apresentar os benefícios para a região com a nova unidade. Além de preservar a área e evitar invasões, também será um novo espaço de lazer.

“Vai atender, principalmente, aos moradores do Independência, Quarteirão Italiano, Cremerie e Taquara. Precisamos da população no debate durante a audiência pública”, frisa o prefeito Bernardo Rossi. “Com mais essa novidade, também vivemos a expectativa de aumentar a nossa arrecadação no ICMS Verde”, completa o secretário de Meio Ambiente, Fred Procópio.

A criação de mais uma unidade de conservação será mais uma medida da atual gestão voltada para a preservação do meio ambiente. Município mais bem colocado da Região Serrana no ranking do ICMS Verde em 2018 – 8ª no ranking entre as 92 cidades do Estado do Rio de Janeiro – Petrópolis vive a expectativa de melhorar essa posição.

O repasse do imposto no ano passado foi de R$ 8,4 milhões. Grande parte desse valor veio pelas UCs do município. Neste ano, além da proposta de criação da Floresta Municipal, a prefeitura já criou duas novas Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) no entorno da Reserva Biológica de Araras: Caminho Real e São Miguel. São mais 24,2 hectares preservados.

Na cidade são 12 RPPNs – cinco elaboradas pelo governo federal, quatro pelo Estado e três municipais. Outras unidades de conservação são o Parque Natural, no Centro, o Monumento Natural da Pedra do Elefante (MONA-PE), no Taquaril, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, a APA Petrópolis, a Reserva Biológica de Araras, a Reserva Biológica do Tinguá e o Refúgio de Vida Silvestre da Serra da Estrela.

“Desde o início da gestão do prefeito Bernardo Rossi, adotamos uma série de políticas públicas efetivas para preservação da natureza. Além disso, trabalhamos a educação ambiental nas escolas da rede municipal em parceria com a Secretaria de Educação e a Defesa Civil”, completa Fred Procópio.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.