Para atletas de longa data ou praticantes ocasionais, pouco se fala sobre a importância do cuidado com os dentes quando se pratica corrida. Correr é um esporte legitimamente aeróbico, que demanda esforço de múltiplos órgãos, principalmente do sistema respiratório e cardiovascular, induzindo-os a trabalhar em todo seu potencial. Dito isso, não havendo precauções com o impacto causado na saúde bucal, podem ocorrer desde doenças periodontais até perdas dentais.

Correr traz benefícios diversos para o corpo e mente de quem pratica, por isso é necessário saber notar os reflexos físicos que podem aparecer. No âmbito bucal, especificamente a saúde óssea dos dentes, o atleta corredor deve fazer uso do protetor bucal para manter a arcada dentária segura sem absorver o impacto. “Muitas vezes próteses e restaurações podem trincar ou até mesmo soltar das bases, por isso é necessário o uso do protetor”, afirma Paulo Coelho Andrade, mestre e especialista em implantologia e odontologia estética.

Há também a influência por fatores ligados ao esporte, como por exemplo a ingestão de produtos que acumulam açúcar nos dentes ou os enfraquecem de alguma forma, como é o caso de barrinhas de cereais e isotônicos. O uso desses produtos durante as corridas, aliados a respiração mecânica bucal podem ocasionar uma erosão ácida do esmalte. Por isso, o ideal é ingerir os produtos antes ou depois de correr e fazer escovação logo após o consumo, uma vez que, higienizando os dentes, não haverá mais resíduos para prejudicar a saúde bucal.

Com o hábito diário da corrida é possível fazer mudanças para prevenir problemas. A respiração estritamente bucal, por exemplo, faz com que a saliva produzida pela boca se torne mucosa, o que prolifera a placa bacteriana. A forma mais indicada para respirar é a inspiração nasal e a expiração pela boca, mantendo um ritmo adequado.

O tensionamento da arcada dentária, isto é, o apertar dos dentes durante a corrida, é bastante maléfico. Paulo explica como a tensão é causada durante o esporte: “Mesmo sendo um reflexo natural do corpo, a tensão dentária é extremamente prejudicial a arcada, pois provoca enfraquecimento ósseo e fraturas de dentes e restaurados. O indicado é que se observe a oclusão e o estado de saúde dos mesmos e avalie se há presença de perda óssea antes de começar a pratica de esportes. Sendo assim, deve-se corrigir as falhas, remover cáries, trocar os restaurados (se necessário), tratar a perda óssea, entre outros procedimentos, para que nada restrinja a corrida”.

 

Dr. Paulo Coelho Andrade

Mestre em Implantodontia pelo Centro de Pesquisas Odontológicas de Campinas e especialista em Implantodontia pela Associação Brasileira de Odontologia, ambos os títulos reconhecidos pelos Conselhos Estadual e Federal de Odontologia, já realizou mais de 50.000 implantes e facetas em 28 anos de implantodontia. Autor de vários artigos científicos, publicados dentro e fora do país, também é pós-graduado em Fixação Zigomática, Periodontia, Cirurgias Avançadas, Sedação e Odontologia Estética na Alemanha.