O atleta petropolitano de bocha adaptada Roberto Saul Wigoda, o Betinho, vai participar da seletiva para o torneio Regional Leste que acontece no próximo domingo (26.05) no Rio de Janeiro. Ele busca uma vaga na categoria BC2 da competição que oferece vaga para o Campeonato Brasileiro da modalidade. Nesta semana, Betinho entrou na fase final de preparação para a disputa – os treinamentos acontecem no Centro de Cultura Raul de Leoni todas as terças e quintas-feiras, entre 14 e 17h, graças a uma parceria da prefeitura com a Associação Petropolitana dos Deficientes Físicos (APDEF).

Luiz Felipe da Cruz Silva, também atleta da ADDEF, está garantindo no torneio Regional Leste, por ter conquistado o quarto lugar na classe BC4 no ano passado. A ideia é que os dois possam disputar juntos a competição que será realizada entre os dias 14 e 16 de junho na Arena Carioca, no Rio de Janeiro.

“Com dois atletas no Regional, aumentamos a possibilidade de ter um petropolitano no brasileiro da modalidade”, explicaMarcelo Corrêa, treinador e coordenador técnico do time de Petrópolis, garantindo que a parceria com o governo municipal é fundamental para o desenvolvimento da modalidade em Petrópolis.

“A rotina de treinamentos faz toda a diferença na hora de disputar as competições. Foi o que aconteceu com o Felipinho, que no ano passado participou do Campeonato Brasileiro de bocha adaptada. Trabalhamos pelo desenvolvimento da modalidade e também para representar bem o nosso município”, disse Marcelo.

O superintendente de Esportes e Lazer, Leandro Kronemberger, destaca que a prefeitura vem oferecendo mais espaços para os atletas com deficiência. No ano passado, aconteceu de maneira inédita a I Copa Imperial de futsal para surdos – em parceria com a Associação Petropolitana de Surdos (APES) – e o campeonato municipal de futsal para surdos.

Além disso, já foi realizada a capacitação gratuita para estudantes e professores de educação física que desejam trabalhar com pessoas com deficiência intelectual e um treinamento, também de graça, para árbitros de futebol e futsal. “As atividades oferecidas têm como objetivo aumentar a participação das pessoas com deficiência nas mais diversas modalidades oferecidas na cidade”, disse Leandro.

No calendário esportivo deste ano, estão previstos, mais uma vez, as competições de futsal e o Dia de Convivência, dentro da programação dos jogos estudantis. “É importante que os alunos com deficiência também ganhem mais espaço. Desde o início da gestão do prefeito Bernardo Rossi, mantemos o Dia de Convivência buscando proporcionar a melhora na qualidade de vida dessas crianças”, completou Leandro.