As associações de moradores dos bairros Quissamã, Itamarati e Cascatinha protocolaram um ofício junto à CPTrans e Águas do Imperador, pedindo pela diminuição dos impactos, através da adoção de medidas alternativas para minimizar os transtornos à população, como pausa em horário de pico ou novos horários para tais trabalhos.

O problema tem se agravado tanto, que já surgiu entre os moradores dessas comunidades, a possibilidade até de uma manifestação no local da obra. “Vamos ter que nos mobilizar para resolver isso”, disse um morador. “Isso é um descaso com a população, vamos ter que fazer uma paralisação para que o problema seja sanado”, reivindicou outro morador.

Vários problemas na operação dos ônibus da Cidade das Hortênsias vêm acontecendo. Alguns coletivos estão tendo atrasos nas viagens, e, em alguns casos, chegam a deixar de cumprir algumas. Os representantes das associações afirmam ter dados expressivos sobre a operação dos coletivos na região.

Eu chego atrasada todos os dias no serviço, uma vez que ainda tenho que deixar meu filho no colégio, que também chega depois do horário, ocasionando sua chamada de atenção por parte da diretora”, declara uma mãe e moradora do Quissamã.

Em nota a viação Cidade das Hortênsias informa que “a troca de tubulação na extensão da Rua Quissama está resultando em impactos diretos na operação dos ônibus, resultando em constantes atrasos e perdas de viagens“.

Eles ainda esclarecem que “desde o início das obras, no dia 29 de abril, até o último dia 15 de maio, a empresa contabilizou o não cumprimento de 182 partidas – número que aumenta a cada dia. A nível de comparação, normalmente, por conta do trânsito, das 36 mil viagens mensais, em média, 200 não são concluídas no mês“.

O impacto com relação ao congestionamento vem sendo observado desde que a obra se iniciou, “após o início da obra, que agravou o congestionamento de veículos na região, todas as linhas que operam, normalmente, com pontualidade, começaram a sofrer com intervenções no percurso, que chegam aumentar em até 30% o tempo de cumprimento do itinerário“.

Segundo a Cidade das Hortênsias “o problema prejudica diariamente a tabela de frequência estruturada pela empresa, principalmente, em horários de pico” e que “os atrasos ficam mais alarmantes nos períodos de 11h às 14h e 16h às 20h“.

A empresa ainda destaca que “somente na segunda-feira (20), foram perdidas 60 viagens. Entre as linhas mais prejudicadas, estão a 340 – Terminal Itamarati, que deixou de realizar 26 partidas, enquanto a linha 300 – Terminal Corrêas (Via Quissamã) não conseguiu efetuar 17 viagens ao longo do dia. As demais linhas troncais como a 330 – Terminal Corrêas (Via Pedro Elmer), 360 – Terminal Itamarati x Alto da Serra e 370 – Terminal Itamarati x Terminal Bingen, também estão sofrendo com os impactos no trânsito“, conclui.