A segunda fase da capacitação de visitadores do Programa Criança Feliz foi iniciada nesta segunda-feira (09.04) pela Secretaria de Assistência Social. O programa visa estimular o desenvolvimento integral de crianças em situação de risco ou vulnerabilidade social na primeira infância – fase determinante para o desenvolvimento de habilidades de coordenação, memória e capacidade de aprendizado.

“O programa vai orientar as famílias sobre a melhor maneira de estimular os filhos nos estudos, para diminuir a evasão escolar, prestando acompanhamento das gestantes desde o pré-natal e preparando as mães em toda linha de cuidado, além do fortalecimento do vínculo familiar. A iniciativa tem como ponto central a visitação domiciliar que será realizada pelos técnicos da Assistência Social. A Assistência, a Saúde e a Educação estarão envolvidas para mudar a realidade dessas crianças. É a integração entre as secretarias, uma das características da nossa gestão”, explica o prefeito Bernardo Rossi.

A expectativa é que sejam atendidas 700 famílias que tenham crianças de até 3 anos beneficiárias do Bolsa Família e as de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O programa tem previsão para início em junho e irá funcionar em todas as oito unidades do Centro de Referência a Assistência Social (CRAS) do município.

“As supervisoras passaram, durante uma semana, por um treinamento organizado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) na capital e agora estão multiplicando os conhecimentos para os 23 visitadores, que devem começar os trabalhos no início de junho. Esta capacitação vai seguir durante toda a semana no CRAS Corrêas, mas todas as oito unidades do município vão participar do programa”, explicou a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

A implantação do Programa em Petrópolis é graças a uma verba federal de R$ 45 mil mensais, liberada pelo Ministério do Desenvolvimento Social. Petrópolis foi umas das 50 cidades participantes do Seminário do programa realizado no Rio de Janeiro, no início do ano.

“Os visitadores estão sendo capacitados em diversas áreas de conhecimento, como saúde, educação, serviço social, direitos humanos, cultura etc. O contato com as famílias será constante e muito valoroso. Para participar do programa, é preciso manter os dados no Cadastro Único atualizados, principalmente quando há grávidas e crianças de até três anos na família. Por conta disso, foi montado um comitê estratégico para mapearmos essas famílias e criarmos o plano de implantação”, contou a secretária de Assistência Social, Denise Quintella.

A secretária explica sobre a importância dos estímulos e cuidados até os 6 anos de idade para o desenvolvimento social da criança por toda a vida.  “A formação inicial é determinante. O caráter, as competências e a inteligência de uma pessoa são definidos nos primeiros anos de vida. Por isso, é muito importante que a criança receba esse cuidado especial para que se torne um adulto mais preparado”, finalizou.