Aranha quase mata criança de apenas 6 anos na Escócia por causa de infecção

Embora a menina tenha recebido antibióticos, a erupção continuou a se espalhar por seu pé e ela foi diagnosticada com celulite, uma infecção de pele que, se não tratada, pode se transformar em sepse.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Uma mãe da Escócia resolveu fazer um alerta a outros pais depois de ter que levar a filha às pressas para o hospital. Ayla Riddock, 6 anos, foi picada no pé pelo que os médicos acreditam ser uma falsa aranha viúva negra. A mãe, a garçonete Kim Matheson, 28, de Falkirk, conta que notou uma bolha e erupção vermelha no pé esquerdo de sua filha e a levou ao médico.


Embora a menina tenha recebido antibióticos, a erupção continuou a se espalhar por seu pé e ela foi diagnosticada com celulite, uma infecção de pele que, se não tratada, pode se transformar em sepse.


Felizmente, depois de cinco dias no hospital com soro intravenoso, Ayla se recuperou totalmente. Agora, sua mãe quer alertar outras pessoas sobre os riscos que as picadas de aranha podem ter se não forem tratadas.
Ayla estava em casa, brincando no jardim. Mas foi só mais tarde, durante à noite, que ela se reclamou que seu pé esquerdo coçava muito. Kim notou duas pequenas marcas vermelhas no pé da menina, mas acreditou ser apenas uma picada de mosquito e não se importou muito.


Três dias depois, uma grande bolha com uma espécie de erupção vermelha apareceu no pé de Ayla, então sua mãe a levou ao médico. Foi quando o clínico geral acreditou ser uma picada de aranha viúva negra falsa, como é popularmente conhecida. Essa espécie, que tem o nome de Steatoda nobilis, segundo estudo publicado na revista científica Scientific Reports, não é venenosa, mas sua picada transmite bactérias que podem causa graves infecções de pele.


E foi o que aconteceu com Ayla, que foi diagnosticada com celulite. Se não for tratada, a infecção pode se espalhar para os gânglios linfáticos e para a corrente sanguínea, rapidamente se tornando mortal.
Ayla, então, foi levada às pressas para o pronto-socorro do Fourth Valley Royal Hospital, em Lambert. “Na época, havia muitas notícias sobre as falsas aranhas viúvas na área. Embora não sejam venenosas, Ayla ainda conseguiu contrair celulite. Se eu não a tivesse levado de volta aos médicos quando começou a se espalhar, o médico disse que poderia ter se transformado em sepse, o que poderia ter tem sido fatal. Eu estava tão preocupada”, conta.

Ayala e sua mãe


Depois de cinco dias no hospital com um soro intravenoso, Ayla recebeu alta com uma série de antibióticos. “Ela passou a melhorar dia após dia. Mas como seu pé tinha bolhas, eu tive que mantê-la fora da escola por algumas semanas porque ela não conseguia andar. Por cerca de um ano ou mais, seu pé continuou a coçar e freqüentemente inflamava. A pele ao redor foi definitivamente danificada, o que muitas vezes causa irritação até hoje”, afirma.


Agora, Ayla, que está com 10 anos, tem fobia de aranhas e não sai de casa sem sapatos. “Sempre use sapatos quando estiver fora de casa, você nunca estará muito seguro. Acho que muitas pessoas não acreditam que existam aranhas no Reino Unido que podem causar danos. Elas podem não ser venenosas, mas suas picadas podem, definitivamente, causar infecção e ser fatal”, finalizou.

Fonte: Crescer

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Trabalho infantil no Mundo aumenta pela primeira vez em 20 anos

No relatório Trabalho Infantil: estimativas globais de 2020, tendências e o caminho a seguir, divulgado pelas duas instituições por ocasião do Dia Mundial contra o Trabalho Infantil, celebrado em 12 de junho, destaca-se a necessidade de medidas para combater a prática, que poderá ser agravada pela pandemia.

Comentários estão fechados.