Créditos: Ennio Leanza/Keystone via AP

Após novas medidas de quarentena e uma rodada a mais de Eliminatórias, clubes ao redor do mundo se recusam a liberar jogadores convocados

A Premier League divulgou comunicado nesta terça-feira (24) informando sobre a decisão de não liberar os atletas para seleções.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Após tomar medidas exigindo quarentena de jogadores convocados por suas seleções, a Fifa vem enfrentando uma reação cada vez maior de clubes ao redor do mundo. A Premier League divulgou comunicado na tarde desta terça-feira (24) informando sobre a decisão de não liberar os atletas para seleções que vão disputar partidas em países da “lista vermelha” do Reino Unido.

As equipes podem sofrer punições caso não queiram fazer a liberação, mas o Liverpool já havia confirmado que não deixaria Mohamed Salah ir para as partidas eliminatórias do Egito, por causa dos 10 dias obrigatórios de quarentena que o craque teria que passar antes de voltar à Inglaterra.

Além de tudo isso, os sul-americanos jogarão uma rodada a mais das Eliminatórias, em vez das duas tradicionais. O que quer dizer que, mesmo se as medidas de quarentena fossem afrouxadas, os jogadores teriam muito pouco tempo de descanso até poderem voltar a jogar em seus times.

A sequência de três partidas foi uma medida pensada pela CONMEBOL para conseguir finalizar boa parte do torneio antes do início da Copa do Mundo. A decisão foi aprovada pela FIFA no começo deste mês. Preocupado com a medida da federação, a Associação de Clubes da Europa, liderada pelo presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, soltou um comunicado para os seus membros.

“ACE expressa firmemente sua objeção contra a decisão da FIFA e a instou para rever sua posição,” disse a organização. “ACE não vai aceitar que um corpo governante como a FIFA abuse de sua função reguladora em ordem de colocar seus interesses comerciais e de seus associados acima do bem-estar físico e dos legítimos interesses esportivos dos clubes.”

A associação ainda acrescenta que foi “inteiramente irracional” a não permissão de que os atletas sejam isentos da convocação baseado nas exigências impostas pelos países.

O Fórum das Ligas Mundiais fez uma proposta para que as Eliminatórias Sul-Americanas fossem finalizadas em um formato de “bolha” em Miami, no período de 30 de maio até 14 de junho, de 2022.

“A FIFA decidiu impor a pior opção possível sem praticamente nenhum aviso prévio,” disse a organização que representa mais de 40 ligas profissionais de futebol. “Isso mostra uma questão de governança óbvia que precisará ser tratada.”

Até agora, a FIFA se recusou a comentar a decisão de realizar a rodada tripla das Eliminatórias Sul-Americanas.

“Os dois dias a mais com as seleções vai garantir um descanso suficiente e preparação entre as partidas, graças as longas viagens dentro da América do Sul,” disse a Federação, “preservando assim o bem-estar dos jogadores ao mitigar as consequências negativas deste intenso calendário, enquanto garante uma competição justa, bem como um pronto retorno dos atletas aos seus clubes.”

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.