Apesar do luxo de seu desfile, a Vila Isabel foi a única escola do Grupo Especial a atrasar um minuto em seu desfile, o que deve custar um décimo de ponto à escola.

A Vila Isabel fez um carnaval luxuoso para contar a história de Petrópolis, desde antes do período imperial até os dias de hoje. Eram carros gigantes e imponentes. O abre-alas impressionou, reproduzindo uma carruagem imperial, com três carros acoplados em 60 metros de comprimento.

O enredo mostrou como D. Pedro I se apaixonou pelo local e teve o sonho de construir na cidade sua casa de verão até a realização desse desejo, concluído pelo seu filho, D. Pedro II.

No desfile, pela 1ª vez como rainha de bateria da Vila após o nascimento da filha Sabrina Sato usou fantasia com proteção nos seios para não vazar leite.

Sabrina representou a Leopoldina, primeira Maria Fumaça que veio de Petrópolis para o Rio de Janeiro. Foi a nona vez que Sabrina desfilou à frente dos ritmistas da Vila Isabel.

O Giro Serra foi a única mídia local a transmitir ao vivo, da Marquês de Sapucaí, as imagens da escola que homenageou Petrópolis

A chegada à cidade de alemães, italianos e franceses, além da primeira estrada de ferro do Brasil, a Mauá, foram lembrados no carro “Nos trilhos da modernidade”.

O Hotel-Cassino Quitandinha de Petrópolis, que chegou a receber Walt Disney, Greta Garbo e Carmem Miranda, foi retratado no carro “Palácio Hollywoodiano”, que manteve o tom de luxo do desfile mesmo após a época real.

O último carro, “Liberdade enfim raiou!”, voltou ao Império para lembrar a Lei Áurea, assinada pela Princesa Isabel no Palácio de Cristal de Petrópolis, em 1888. Foi neste carro, que celebrou o fim do horror da escravidão e a força da negritude, que apareceu a família de Marielle.

O carnavalesco do enredo “Em nome do Pai, do Filho e dos Santos, a Vila canta a cidade de Pedro” foi Edson Pereira, Campeão da Série A em 2019 com a Viradouro.

No meio do desfile, chegou-se a ouvir coros de “é campeã” na arquibancada. A Vila Isabel já foi três vezes campeã do Grupo Especial do Rio, em 1988, 2006 e 2013.

Fonte: G1