Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Apenas 2 a cada 5 crianças estão protegidas da poliomielite no Brasil

O tema sobre a doença voltou a ser fortemente discutido pelo fato de que em 2021 foi ano da menor adesão ao imunizante desde 2012.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Um levantamento realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) mostrou que apenas duas crianças, a cada cinco, estão vacinadas contra a poliomielite em 2022.

Poliomielite (paralisia infantil) é uma doença contagiosa aguda causada por vírus que pode infectar crianças e adultos e em casos graves pode acarretar paralisia nos membros inferiores. A vacinação é a única forma de prevenção. Todas as crianças menores de cinco anos devem ser vacinadas. No Brasil, o último caso de infecção pelo poliovírus selvagem ocorreu em 1989, na cidade de Souza, na Paraíba.

O tema sobre a doença voltou a ser fortemente discutido pelo fato de que em 2021 foi ano da menor adesão ao imunizante desde 2012.

Segundo os dados do Ministério da Saúde, a procura pela vacina foi tão baixa que a campanha de vacinação foi prorrogada até o dia 30 de setembro, já que o plano de imunização terminaria no dia 9 de setembro.

Apesar da prorrogação, a meta planejada de 95% de crianças vacinadas, não foi alcançada. Na última sexta-feira (16), havia apenas 44% crianças de um a quatro anos de idade imunizadas.

Estados Unidos registra caso de pólio em quase uma década

Autoridades de saúde de Nova York registraram, no mês passado, o primeiro caso de poliomielite em quase uma década sem nenhuma infecção. O último caso registrado ocorreu no ano de 2013.

De acordo com informações oficiais, a infecção ocorreu em um jovem adulto que não era vacinado e possivelmente teve contato com alguém que estava vacinado com o vírus vivo enfraquecido, provavelmente aplicada fora do país, já que nos Estados Unidos, as vacinas são feitas com uma versão inativada do vírus. Na ocasião, ele teria tido paralisia muscular, um dos sintomas que a doença pode trazer.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.