Foto: Victoria Jones/PA via AP

Análise preliminar aponta que nova variante do coronavírus no Reino Unido se espalha mais rápido

OMS diz que mutação é monitorada

O consultor médico chefe da Inglaterra, Chris Whitty, disse neste sábado (19) que a nova mutação de coronavírus localizado no Reino Unido pode se espalhar mais rápido, segundo análise preliminar. Não há evidências, porém, de que a variante seja mais mortal.

De acordo com Whitty, “como resultado da rápida disseminação da nova variante, dados de modelagem preliminares e taxas de incidência em rápido aumento no sudeste”, o país “agora considera que a nova cepa pode se espalhar mais rapidamente.”

O líder médico também disse ter alertado a Organização Mundial da Saúde (OMS), e que continuam a “analisar os dados disponíveis para melhorar o entendimento” da nova cepa do vírus.

Por isso, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, deverá anunciar novas medidas urgentes para tentar frear a disseminação do vírus.

“Deixar de agir com decisão agora significará mais sofrimento. Devemos continuar nos perguntando ‘estamos fazendo o suficiente, estamos agindo com rapidez suficiente?'”, disse Jeremy Farrar, membro do Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências do governo (SAGE), em uma rede social.

OMS diz que mutação é monitorada

Os representantes da OMS disseram que a nova variante é monitorada para saber se ela faz que o vírus “seja mais complicado” ou possa se propagar mais. Por enquanto, não há nada que indique isso, de acordo com Mike Ryan, diretor de emergências da OMS.

“Temos ciência dessa variante de Covid-19 na Inglaterra. Esses tipos de mutações são comuns”. – Mike Ryan, diretor de emergências da OMS

“Essa variação já está sendo monitorada. Pesquisadores já estão fazendo o sequenciamento genético e não há nenhuma evidência de que esta variante se comporte diferente” – Maria van Kerkhove, líder técnica da OMS

Vacinação e lockdown

Mesmo com aproximadamente 140 mil pessoas já vacinadas com a primeira dose contra a Covid-19, o Reino Unido voltou a fechar as portas de hotéis, restaurantes e locais de entretenimento (como cinemas, teatros e museus) na última quarta-feira (16).

Em Londres, na Inglaterra, o nível máximo de alerta contra a Covid-19 foi acionado. Por lá, é proibido até encontrar em locais fechados com pessoas com quem não se convide. Em locais abertos, encontros não podem ter mais de 6 pessoas.

Lojas, salões de beleza e academias podem permanecer abertas, assim como as escolas.

O Reino Unido registrou 28.507 novos casos de Covid-19 na sexta-feira e 489 mortes, com o número de reprodução “R” estimado entre 1,1 e 1,2, o que significa que o número de casos está aumentando rapidamente.

Fonte: G1

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também