Ana Cañas reúne constelação de personalidades para celebrar Belchior

Clipe de “Sujeito de sorte” traz nomes como Elza Soares, Wagner Moura e Bruno Gagliasso. Faixa faz parte do segundo EP que a cantora lança interpretando as obras do cearense.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Ana Cañas continua seu mergulho no oceano de poesia e transcendência de Belchior. Neste segundo EP, que chega hoje através do selo Guela Records com distribuição da Believe, a cantora exibe mais quatro faixas que comprovam seu talento e sintonia com a obra do ídolo. Com interpretações intensas e profundas, Ana apresenta releituras inspiradas de “Divina comédia humana”, “A palo seco”, “Comentário a respeito de John” e “Sujeito de sorte”. A última ganhou clipe com as participações mais que especiais de uma turma de personalidades que inclui nomes como Elza Soares, Ney Matogrosso, Letícia Sabatela, Wagner Moura, Bruno Gagliasso, entre muitos outros.

“A ideia desse clipe é homenagear Belchior e ao mesmo tempo celebrar a importância de ‘cuidarmos da vida’, como o próprio compositor. A tecnologia do celular possibilitou esse clipe no meio da pandemia e todos fizeram seus próprios vídeos (incríveis!) em casa e me mandaram”, conta Ana. “Conseguimos a reunião de 44 artistas que admiro e que também representam a luta por direitos. Estão ali artistas indígenas, pretos, artistas de Sobral, do mainstream. Todos juntos numa soma bonita e importante tentando trazer um pouco de alento e esperança para o momento difícil que ainda passamos, revela.

O projeto cantando Belchior nasceu depois do sucesso de uma live e os sucessivos pedidos do público de Ana para as releituras virarem disco. E em plena pandemia, sem shows e com artistas independentes passando por dificuldades, a gravação só foi possível graças a um financiamento coletivo.

Em maio, Ana Cañas lançou “Coração Selvagem” como single, mês passado disponibilizou o EP1 e em setembro o terceiro EP completando o álbum completo chegará às plataformas. “Viver Belchior é realmente intenso, nada fica pela metade e eu estou sempre absorvida por suas ideias e sentimentos, dedicada totalmente ao universo idiossincrático deste artista tão genial e atemporal”, conclui.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Érico Moreira lança single para embalar o verão brasileiro

A música tem clima de verão, perfeita para embalar o calor que, em breve, volta com tudo nas terras tupiniquins. Com uma batida meio africana misturada com células rítmicas de maracatu, Quando a Maré Encher faz referência às lembranças da adolescência do artista em Paraty.

Comentários estão fechados.