Um estudo feito pela Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, revelou que a amizade aumenta em 50% a expectativa de vida e que a solidão acelera em 32% as chances de morrer prematuramente ou acaba tornando as pessoas mais suscetíveis a doenças como Alzheimer e o estresse.
Construir intimidade com pessoas que nos identificamos é essencial não apenas para a nossa vivencia em sociedade, mas também para a nossa mente. Segundo Erika Alk, coach especialista em autoestima, a amizade é uma das relações mais importantes que podemos possuir “faz bem para o coração. O amigo acolhe, ouve e nos afasta da solidão. Quando a conexão é verdadeira, ela envolve confiança e se torna uma via de mão dupla. É um dos vínculos mais importantes que podemos ter durante a vida”.
Com inúmeros benefícios, a amizade consegue aumentar a nossa sociabilidade e nos ajuda a continuarmos no caminho para conquistar nossos objetivos. A falta de amigos pode acarretar gatilhos emocionais que prejudicam o nosso desempenho.
“Os amigos não servem apenas para os momentos bons, eles são essenciais nos momentos ruins. Quando não temos uma amizade verdadeira, alguém que podemos desabafar as nossas lutas diárias e pedir conselhos, ficamos desanimados e a solidão é um dos maiores fatores para o nosso emocional se desestabilizar”, comenta Erika Alk.
Historicamente o ser humano sempre precisou do contato social, ou seja, ninguém consegue viver sozinho. É necessário estarmos rodeados de pessoas que nos trazem felicidade e bem-estar. E por isso, relações de troca leva ao crescimento pessoal e a realização plena em nós. O desenvolvimento cognitivo, afetivo e social começa na infância e permanece durante toda a nossa vida através das amizades.

Crédito da foto: Foto Divulgação