Foto: Rafael Wallace

Alerj articula plano de enfrentamento da tuberculose no Rio de Janeiro

A criação de um plano de ação para erradicar a doença no estado foi divulgada, nesta quinta-feira (11/03)
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado André Ceciliano (PT), afirmou que o Parlamento poderá destinar recursos para o enfrentamento da tuberculose no estado. A criação de um plano de ação para erradicar a doença no estado foi divulgada, nesta quinta-feira (11/03), durante reunião com representantes da Secretaria Estadual e Municipal de Saúde, da Fiocruz, do Fórum Estadual de Tuberculose e do Grupo Pela Vida Niterói. Os deputados Waldeck Carneiro (PT) e Renata Souza (PSOL) também estiveram presentes. “A gente está disposto a fazer o enfrentamento da tuberculose. É um trabalho a médio e longo prazo. Se tivermos que fazer um aporte de recursos, a Assembleia vai fazer”, frisou Ceciliano.

Ao final do encontro, os deputados agendaram para a próxima semana, duas novas rodadas de reuniões para tratar do plano de ação e das previsões orçamentárias. A primeira, na terça-feira (16/03), com as mesmas instituições reunidas hoje, e a segunda, na quinta (18/03), com secretários municipais de Saúde da capital, Baixada Fluminense, Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Campos dos Goytacazes. “Já conversei com o governador (governador em exercício Cláudio Castro) hoje, estou ligando pessoalmente para os prefeitos. Na quinta, às 17h, vamos fazer uma reunião com os secretários de Saúde dos municípios da Baixada, Itaboraí, Niterói, São Gonçalo e Campos, pois segundo consta são os municípios que necessitam de mais atenção nesse momento, e mais a capital”, pontuou Ceciliano. Segundo dados do Ministério da Saúde, 30% dos casos de tuberculose no país são diagnosticados no Rio. De acordo com o deputado Waldeck, a situação no sistema prisional também é complexa e os hospitais de referência, que tratam a doença, estão sucateados no Rio. “Santa Maria, na Taquara, Ary Parreiras, em Niterói, e Raphael de Paula e Souza, em Curicica, estão em péssimo estado. Os investimentos da Alerj poderão possibilitar o aumento na contratação de pessoal especializado”, ponderou. “Além de vontade política e compromisso da Casa, existem recursos para que haja, de fato, mais que um projeto, um programa de médio e longo prazo para, no limite, buscar erradicar a tuberculose no Estado do Rio de Janeiro”, concluiu.

Fonte: Alerj

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.