Alerj analisa projeto que obriga divulgação de lista de vacinados contra Covid-19

Diante das denúncias de casos de “fura-fila” na vacinação contra a Covid-19, a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) vai analisar o projeto de lei 3526/2021, que obriga o Governo do Estado a divulgar, na internet, a lista com nomes dos imunizados.

De acordo com a proposta do deputado Anderson Moraes (PSL), o painel de acompanhamento deve informar o total de vacinas disponíveis ao Estado e o número de cidadãos já imunizados por grupo, com nome, CPF, região e local em que a dose foi aplicada. 

“O processo de vacinação contra a Covid-19 deve ser transparente. Depois de termos visto tanta corrupção na condução da pandemia, não é justo que a população fique sujeita a mais fraudes. A divulgação dos dados traz lisura ao processo e é uma tentativa de garantir o cumprimento das prioridades”, defende Anderson Moraes.
A Secretaria estadual de Saúde (SES) até lançou, nesta quinta-feira (04), um portal sobre a vacinação, mas não há dados dos cidadãos que receberam o imunizante e de qual grupo fazem parte.

O hotsite (https://vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br/) mostra as fases da campanha, o total de vacinados, além de responder perguntas frequentes.

O Ministério Público (MP-RJ) já registrou mais de 200 denúncias de supostas irregularidades na inversão de prioridade da vacinação contra o coronavírus. Para coibir os “fura-filas”, também tramita na Alerj projeto que cria multa de R$ 25 mil até R$ 100 mil para quem for vacinado fora da ordem estabelecida no Plano Nacional de Imunização.

Os projetos ainda precisam de aprovação em plenário, e posterior sanção do governador, para virarem lei. Ainda não há data prevista para serem votados.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

Museus do estado propõem debate enquanto comemoram data especial

Programada para ocorrer a partir desta segunda-feira, dia 17, até domingo, dia 23, a 19ª Semana Nacional de Museus terá como tema “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar”, que propõe a reflexão sobre o futuro dos espaços, sem esquecer o compromisso criativo com o presente.