Com 23 câmeras já instaladas, a prefeitura iniciou nesta segunda-feira(07.05) a fase de treinamento dos agentes que vão acompanhar as imagens e operar o sistema do Centro Integrado de Operações (Ciop). Até quarta-feira (09.05), 35 homens de Guarda Civil, Polícia Militar, Polícia Civil e CPTrans serão orientados sobre as ferramentas do sistema. O prefeito Bernardo Rossi acompanhou o primeiro dia do curso.

“Essa é uma fase muito importante porque são esses homens que vão fazer o monitoramento na prática. Por isso, eles precisam estar totalmente familiarizados com o sistema e saber tudo que podem aproveitar dele para a segurança do município, a fluidez do trânsito, o atendimento de ocorrências. O Centro Integrado de Operações é um enorme ganho para toda a cidade”, disse o prefeito Bernardo Rossi.

As aulas têm turmas de até 10 agentes. Posteriormente aos três dias do curso, homens da Polícia Civil vão passar por um treinamento específico mais voltado ao uso das imagens para investigações. Vale lembrar que o sistema permite análise automática de cenas a partir de filtros de pesquisas de acordo com cores, direção, velocidade, ociosidade ou tamanho do objeto.

O curso é ministrado pelo funcionário do departamento técnico da Emive (empresa responsável pela instalação do Ciop), Jaderson Kenner. Ele explica são três pontos principais que os futuros monitorantes devem ficar atentos durante o treinamento.

“Eles precisam conhecer o sistema, ou seja, saber a fazer rotação da câmera, a dar zoom, entender como funciona o reconhecimento de placas, entre outras funções. Também deve entender como visualizar as imagens ao vivo, o que significa saber quantas câmeras vão acompanhar ao mesmo tempo, se vão focar em alguma região. E por fim, também tem que aprender a salvar as imagens para que elas sejam usadas posteriormente”, explicou Kenner.

Todas as imagens geradas são gravadas no sistema de monitoramento por 30 dias. Para que uma determinada cena possa ser usada depois desse prazo, é necessário que seja guardada à parte – por isso, os monitorantes também são orientados sobre como realizam essa gravação.

O vice-prefeito Baninho; o secretário de Serviços, Segurança e Ordem Pública, Djalma Januzzi, e o comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni, também acompanharam o início do treinamento, assim como o coordenador de Segurança, Maurício Borges. Ele explicou como a Guarda Civil vai atuar no Ciop.

“Vamos manter três homens aqui para acompanhar as imagens 24 horas e mais que vai atuar como um coordenador, dando suporte aos trabalhos. Além disso, também será disponibilizada uma viatura com dois homens para atender eventuais ocorrências que sejam registradas pelas câmeras e estejam na alçada da Guarda”, afirmou Borges.

Guarda há 25 anos, o sub-inspetor Carlos Henrique dos Santos será esse coordenador. O papel dele será o de controlar o acesso ao local e dar cobertura aos demais agentes no horário de trabalho.

“As imagens são em uma qualidade muito boa, dá para fazer a leitura de placas com muita nitidez. As câmeras nos dão uma grande ferramenta e não é difícil operar, então a população vai ganhar muito porque vamos conseguir fazer o monitoramento sem qualquer problema”, falou o subinspetor.

23 câmeras já instaladas
A instalação de câmeras pela cidade continua. Até aqui, já foram posicionadas 23 câmeras, sendo 21 que filmam em 360º e mais duas fixas, no pórtico do Quitandinha. Ainda serão colocadas mais oito câmeras fixas em outras entradas da cidade: pórtico do Bingen, Alto da Serra, trevo de Bonsucesso e Posse.

Elas já estão em locais como a esquina da Rua do Imperador com a Nelson de Sá Earp, Praça Visconde de Mauá (Praça da Águia), em frente à Catedral São Pedro de Alcântara, Praça da Liberdade, Palácio de Cristal, 13 de Maio, na esquina da Montecaseros com a Roberto Silveira, em frente ao Gheren, na entrada da Mosela, na Av. Ipiranga, no Bingen – entre o Hospital Santa Teresa e a Estácio de Sá –, Rua Teresa (quatro pontos), esquina da Paulo Barbosa com a Caldas Viana, Praça da Inconfidência, esquina da Rua do Imperador com Paulo Barbosa, em frente ao Obelisco, em frente à 105ª DP, no Retiro, e Quitandinha.

Também serão instaladas outras na Praça de Nogueira, Praça de Corrêas, Duas Pontes, Valparaíso, Parque Municipal de Itaipava, Pedro do Rio, Quissamã, Itamarati, Cascatinha e Araras.

A sala da central de monitoramento, um espaço de 90 metros quadrados no Centro de Cultura Raul de Leoni,tem seis ilhas de monitoramento e já recebe, ainda em fase de testes, as imagens das câmeras instaladas.

Depois destes 46 pontos, outros 40 também vão ganhar câmeras, fruto de uma emenda parlamentar recuperada pelo prefeito Bernardo Rossi ainda no início do ano passado. A cidade ainda tem outra central que foi criada especialmente para a região de Itaipava, com 20 câmeras instaladas no Parque Municipal e entorno e que já estão em funcionamento.

Fonte: Prefeitura de Petrópolis

Crédito da foto: Divulgação / Ascom PMP