A brigada operacional de combate a incêndios florestais da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias está participando do curso de prevenção e defesa florestal promovido pela Reserva Biológica Estadual de Araras (Rebio-Araras). As atividades começaram nesta quinta e seguem na sexta-feira (27.07), com aulas sobre legislação ambiental, técnicas de fiscalização, a biodiversidade da região, além de ensinamentos sobre os equipamentos usados no combate as queimadas. O trabalho integrado da pasta com os órgãos ambientais está previsto no Plano Inverno 2018 de Petrópolis, organizado pela prefeitura e que tem o objetivo de organizar e melhorar a resposta as ocorrências da estação.

Só neste mês, o 15° Grupamento de Bombeiro (GBM) Militar registrou 27 casos de incêndios florestais, que consumiram quase 11 mil metros quadrados de área verde. A chefe da Rebio-Araras, Isabela Bernardes, explica que o curso tem o objetivo de preparar as equipes operacionais para o atendimento em caso de ocorrência deste tipo na área da reserva. Ela lembra também que o trabalho em conjunto já resultou no mapeamento do Vale das Videiras graças ao sobrevoo do drone da Defesa Civil no local.

“É fundamental para a cidade que os órgãos de atendimento e de resposta estejam organizados e preparados para atender as ocorrências. Desde o início do ano passado, dentro do Plano Inverno de Petrópolis, somos parceiros da Defesa Civil e de outras instituições no período de estiagem, com ações antecipadas. Acreditamos que dessa maneira, vamos diminuir os casos de incêndios florestais não apenas na Reserva, mas em toda a cidade”, disse Isabela.

Dados do Corpo de Bombeiros também comprovam a eficácia do trabalho antecipado realizado na cidade, que começou no ano passado: foram registrados 116 casos de fogo em vegetação contra 258 em 2016. O trabalho preventivo entre os órgãos estabelece ações de resposta para agilizar o atendimento às ocorrências e minimizar os efeitos das queimadas. Por conta elaboração do Plano Inverno, Petrópolis também recebeu o reconhecimento internacional da Organização das Nações Unidas (ONU) e ganhou nota máxima na avaliação do Tribunal de Contas do Estado (TCE) nas ações de Defesa Civil.

“O reconhecimento nacional e internacional mostra que estamos no caminho certo em busca de uma cidade mais resiliente. Realizamos uma série de atividades no ano passado, com treinamentos em conjunto com órgãos ambientais e a criação de uma metodologia pioneira no país com relação as ameaças de inverno. Apesar das dificuldades, seguimos trabalhando de forma antecipada e organizada”, explica o secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz.

O Plano Inverno 2018 de Petrópolis foi elaborado por 19 instituições diferentes, contando com mais de 80 horas de treinamento envolvendo órgãos de atendimento e resposta e cerca de 150 pessoas treinadas para a resposta imediata em casos de incêndios florestais. Os planos de contingência e as matrizes de atividades e responsabilidades estão disponíveis no site da prefeitura.

“Com a adoção de medidas preventivas, podemos agir no estágio inicial dos incêndios florestais e, até mesmo, evitar que o desastre aconteça, protegendo a fauna, a flora e ainda a vida humana com o emprego de práticas antecipadas e planejadas. São ações integradas, proporcionadas pelo Plano Inverno, que fazem com que alcancemos nossos objetivos, como foi no ano passado”, completa Paulo Renato.