Advogado defende uso do fundo eleitoral para combate ao coronavírus

A crise provocada pelo coronavírus, que já atinge o Estado do Rio de Janeiro, pode causar enormes danos aos serviços públicos. O orçamento do Estado já tem um déficit previsto de R$ 10 bilhões, oriundos da crise fiscal que o Rio de Janeiro sofre desde 2015. Os dados levantados são do advogado Ramon Mello, que é assessor do deputado estadual Luiz Paulo, presidente da Comissão de Tributação da Alerj.

Segundo Ramon, medidas drásticas devem ser tomadas para amenizar a crise financeira que passa o estado do Rio de Janeiro e o Brasil. “Falei com o deputado Luiz Paulo por telefone e analisamos os números. A crise será profunda nos próximos meses e ano. A utilização do fundo eleitoral e os recursos que seriam usados nas eleições municipais podem ajudar a amenizar a crise. Esses valores podem chegar próximo a R$ 4 bilhões”, afirma o petropolitano e advogado Ramon Mello.

O deputado estadual Luiz Paulo, presidente da Comissão de Tributação da Alerj, espera que haja ações conjuntas dos poderes e também defendeu as medidas. “Sem um esforço coletivo envolvendo União, estado, municípios, Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público, TCE, Defensoria e sociedade civil viveremos anos muito duros, com ápice nos dois últimos trimestres do presente anos. Tal esforço deveria conduzir para adiar as eleições municipais 2020 como medida de economia e de se alocar recursos do Fundo Eleitoral e do TRE para a saúde”, declarou Luiz Paulo.

Neste domingo, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, também sugeriu a postergação das eleições municipais e defendeu que prefeitos realizem um ‘mandato tampão’ como uma das medidas de enfrentamento à Covid-19.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também