Mais de 200 pessoas participaram nesta semana das ações das empresas de ônibus e do Setranspetro pelo Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência, comemorado na quinta-feira (21). As atividades ocorreram nas garagens da Cidade das Hortênsias, Turb Petrópolis, Cidade Real, Petro Ita e Viação Cascatinha. As ações reuniram alunos e internos de três instituições e uma comunidade, além de colaboradores das empresas, diretores e vereadores.

Na terça (19) e quarta-feira (20), o público participou de cafés da manhã, visitou as garagens, conhecendo o funcionamento interno de uma empresa de ônibus, incluindo as áreas de manutenção, abastecimento de combustíveis e limpeza. Além disso, puderam ver e usar os elevadores dos ônibus que atendem as pessoas com deficiência e mobilidade altamente reduzida, além de participarem de atividades lúdicas.

Para Carla Rivetti, gerente do Setranspetro, a ideia surgiu da diretoria das empresas de ônibus com o objetivo de estreitar o relacionamento desse público com o Sistema de Transporte, mostrando para os representantes dessas instituições todo o trabalho que é desenvolvido para atender com dignidade, eficiência e segurança todos os seus clientes.

Os assistidos pelo Instituto Yolanda Duarte ficaram muito empolgados com o passeio na garagem da Turb. “Os funcionários e a diretoria da empresa foram muito sensíveis e todas as atividades gratificante para nós”, afirmou Juliana Cunha, que é secretária da instituição.

Diretora da Associação Pestalozzi de Petrópolis, Norma Helena Ferraz de Souza, achou a iniciativa importante. “Muitos dos nossos alunos tem autonomia para ir e voltar para a escola de ônibus e esta visita é interessante para eles”, disse, acrescentando que atividades extras são muito significativas. A Pestalozzi visitou as garagens da Cidade das Hortênsias, Petro Ita e Viação Cascatinha.

Sueli Seabra, professora do Centro de Referência em Educação Inclusiva (Crei) João Pedro de Souza, assinalou que os alunos se sentiram importantes perante a sociedade em um evento que foi preparado para eles. “O contato com outras pessoas é essencial, raramente eles saem da instituição”, afirmou Sueli, que atende deficientes físicos, emocionais e mentais. Os alunos do Crei participaram das ações na garagem da Cidade Real.

“As pessoas com deficiência não são descartáveis, eles têm uma vida e precisam de atenção. É bom ver que provocam esse olhar tão especial”, disse Adriana Oliveira, da Comunidade Jesus Menino, referindo-se aos cuidados que receberam dos colaboradores da Cidade Real.

O vereador Marcelo da Silveira aprovou a ideia. “É mais do que ajudar uma pessoa a embarcar no ônibus, é a interação com eles. São ações que mostram que as pessoas estão sendo mais aceitas e conhecidas”, disse, acrescentando que, atualmente, as empresas de ônibus são as que mais empregam pessoas com deficiência em Petrópolis.