Com a discussão do tema “A cultura como vetor de desenvolvimento social e econômico na cidade de Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro e no Brasil”, o diretor-presidente do Instituto Municipal de Cultura e Esportes, Leonardo Randolfo, abriu, na noite de sexta-feira (18.05), a 3ª Conferência Municipal de Cultura. O encontro, que contou com mais de 150 inscritos, é a principal ferramenta de discussão das diretrizes da cultura na cidade e dá voz à sociedade civil, para que dialogue com o poder público. A etapa, que é integrante da 4ª Conferência Estadual, é realizada no Centro de Cultura Raul de Leoni. A abertura do evento contou com uma intervenção artística, com a apresentação do espetáculo “Princesa Isabel em seu palácio”.

A programação continua neste sábado (19.05), com a discussão dos eixos temáticos; a consolidação e apresentação das propostas; e eleição dos delegados para a Conferência Estadual.

“São muitos os desafios da cultura no país e em nossa cidade. E esse é o espaço para debatermos esses desafios. A conferência é o espaço máximo de diálogo, de participação da sociedade civil. Para Petrópolis, entre as pautas de discussão, estamos lançando uma importante mudança para o segmento, que é a revisão do Plano Municipal de Cultura, que há muito tempo vem sendo solicitada pelos agentes culturais”, destaca Leonardo Randolfo, que falou também, durante a abertura, sobre o funcionamento do Sistema Nacional de Cultura – Petrópolis foi uma das primeiras cidades a consolidar o seu Sistema Municipal de Cultura -, o Conselho Municipal de Cultura, o Fundo Municipal de Cultura, entre outros.

A conferência é uma forma colocar em debate a cultura de cada município e fazer com que os agentes ligados à área criem propostas de diretrizes sobre políticas públicas, tomando como base a demanda local.A participação na conferência é livre contou com a presença tanto integrantes do poder público, quanto da sociedade civil, além das entidades que têm finalidade cultural.Diana Iliescu, do segmento de audiovisual, explica que é fundamental que a sociedade se organize e possa participar.

“É muito importante, em tempos como esse, que a sociedade se organize. Não tem outra solução que não seja coletiva. Que a gente possa contribuir. Cada vez mais vemos a necessidade de que a sociedade participe das políticas públicas”, frisa ela.

Ministério da Cultura está investindo na cidade

O representante regional do Ministério da Cultura no Rio de Janeiro, Matheus Quintal, que é morador da cidade, falou sobre a importância de Petrópolis para o segmento da cultura dentro do governo federal durante a solenidade de abertura. “Somos mais de 50% dos investimentos da cultura na Região Serrana. O Ministério da Cultura vem fazendo muitos investimentos na cidade. E isso só foi possível porque Petrópolis apresentou o seu Plano de Cultura, está inserido no Sistema Municipal de Cultura. Estamos abertos a debater projetos, a cultura, para que possamos avançar”, disse.