A Trilha do Arboreto ganha mais uma atração: a planta que tem “a maior folha do mundo”

A espécie provavelmente rara e está listada como ameaçada de extinção na Lista Vermelha da IUCN.

A Trilha do Arboreto, situada no Palácio Itaboraí/Fiocruz-Petrópolis, é uma trilha urbana de 808 metros, com um acervo vivo de mais de 440 espécies de plantas identificadas, a maioria delas de uso medicinal, além de uma caixa com abelhas nativas, sem ferrão, do tipo “Jataí”.

Neste finalzinho de ano a Trilha ganhou mais uma atração: trata-se de uma espécie da família Polygonaceae – Coccoloba gigantifolia, chamada de “Uva-da-amazônia”, a maior folha dicotiledônea (plantas como o feijão, que quando germinam dão dois cotilédones, ou seja, dois pares de folhas embrionárias) do mundo, registrada no livro dos recordes, Guiness Book. Esta espécie pode chegar a 13 metros de altura e suas folhas, a 2,40 x 1,68 metros. Ela é endêmica do Brasil, foi encontrada pela primeira vez, em 1982, às margens do rio Canumã, afluente do rio Madeira, no município de Borba, no estado do Amazonas. Segundo os pesquisadores que a encontraram, trata-se de uma espécie provavelmente rara e está listada como ameaçada de extinção na Lista Vermelha da IUCN.

O Palácio Itaboraí já dispunha de uma amostra de sua folha desidratada/seca (foto) e agora passa a tê-la no seu acervo vivo, para fins de preservação e conservação da espécie, além do desenvolvimento de trabalhos científicos sobre propriedades e benefícios da planta. A muda introduzida na Trilha do Arboreto foi uma doação do INPA – Instituto Nacional de Pesquisa Amazônica, pelo pesquisador Dr. A. C. Cid Ferreira.

Fórum Itaboraí – Fiocruz Inaugurado em 18 de outubro de 2011, como um programa especial da Presidência da Fiocruz, o Palácio Itaboraí abriga o Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde. O Fórum é um espaço permanente de reflexão e geração de ideias, que tem como principal objetivo reunir intelectuais, cientistas, artistas, gestores e usuários de educação e saúde do Brasil e do estrangeiro, para gerar formulações de políticas e práticas tendentes a reduzir as desigualdades sociais na saúde. O Fórum também desenvolve ações comunitárias que permitam pôr em prática atividades inter e transetoriais. Entre essas práticas se destacam: o Programa de Biodiversidade e Saúde, cujos principais projetos envolvem plantas medicinais, além da Trilha do Arboreto, uma trilha urbana de 808 metros, com um acervo de mais de 400 espécies de plantas vivas e identificadas, sendo a maior parte delas medicinais, que visam disseminar e resgatar os conhecimentos tradicionais e populares do cuidado na saúde; a Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí – OCPIT; o desenvolvimento e aplicação de tecnologias sociais (como o Diagnóstico Rápido Participativo – DRP, o Teatro do Oprimido e a cartografia participativa) para o estudo participativo dos determinantes de saúde de territórios em Petrópolis e atuação articulada com outros setores, como o poder público e universidades, para o desenvolvimento local; incluem-se, ainda, a Biblioteca Livre do Palácio Itaboraí, com acervo focado nos Programas do Fórum e disponibilização de acesso a bibliotecas virtuais; atividades de apoio à capacitação tecnológica para trabalhadores de saúde; a investigação-ação participativa no campo da promoção da saúde; debates culturais, projetos, eventos e exposições de artes e cultura, entre outras.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também