O trabalho de prevenção às drogas deve ser encarado de forma intersetorial, envolvendo os diversos atores diretamente ligados ao tema para promoção da igualdade social e inclusão dos jovens na sociedade. Esse foi o centro do debate da segunda pré-conferência de Políticas sobre Drogas, realizada na quarta-feira (11.04), na Casa dos Conselhos. Cerca de 70 pessoas participaram da discussão, a partir da apresentação de dados preliminares da pesquisa “Diagnóstico Rápido Participativo” (DRP), feita pelo Fórum Itaboraí em diversos bairros da cidade, e da palestra do especialista em medicina geral comunitária, Cândido da Fonseca Neto. Este foi o segundo encontro para preparar a conferência, que acontece nos dias 27 e 28 de abril, na Fase.

Foram mais de 170 pessoas, somados os participantes das duas pré-conferências realizadas. O objetivo da reunião é levantar informações e ideias que serão debatidas no fim do mês. Durante a pré-conferência, a presidente do Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas (CMPD), Victoria Gutiérrez, destacou a necessidade de se entender a prevenção às drogas como um trabalho que deve ser feito de forma integrada pelos setores envolvidos com o tema.

“Toda vez que se fala em política de prevenção às drogas, os atores envolvidos não dividem experiências. E prevenção a gente faz junto, não é uma ação de apenas um setor. São diversas as questões envolvidas e, por isso, é preciso articular e ter um trabalho intersetorial para ter um resultado mais efetivo”, disse.

A pesquisadora do Fórum Itaboraí, Marina Rodrigues, mostrou as primeiras conclusões do DRP, um estudo que contou com 600 entrevistas com equipes de 36 postos de saúde, 43 escolas, grupos sociais, mulheres e adolescentes. A intenção do levantamento é mostrar a realidade social dos locais pesquisados e planejar ações para atuação das equipes de saúde da família a partir do que os moradores apontam.

“O que a gente percebe, a partir do estudo, é que é necessário reduzir a desigualdade social e permitir que os jovens tenham participação na sociedade e a possibilidade de se desenvolver. Quando falamos isso, também estamos falando de promoção de saúde. O que precisamos discutir é o que fazer dentro dessa realidade”, afirmou Marina.

Para o médico Cândido da Fonseca Neto, a sociedade impõe desafios constantemente, de diferentes formas. Por isso, é necessário buscar a integralidade como uma boa prática na vida – e também na medicina.

“Às vezes, a pessoa passa horas em uma só posição, só fazendo trabalho intelectual. A gente precisa transformar isso em consciência corporal. Esquecemos que somos um corpo. Tem uma autora chamada Heloísa Capelas que tem um livro, “O Mapa da Felicidade”, em que discute um conceito interessante sobre a integralidade, sobre estar íntegro, inteiro. E o que é exercer a integralidade? É estar contemplando os novos desafios sempre”, falou.

A reunião contou, ainda, com a participação do comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni; da coordenadora do Gabinete da Cidadania e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), Anna Maria Rattes; do comandante do 26º Batalhão da Polícia Militar, Oderlei Souza; de representantes do Centro de Referência em Atendimento à Mulher (Cram), de unidades de saúde, de psicólogos do Centro de Atenção Psicossocial em Álcool e Drogas (CAPS AD); e de pacientes atendidos pelo CAPS AD e familiares.

 

II Conferência Municipal de Políticas sobre Drogas seguem com inscrições abertas

As inscrições para a II Conferência Municipal de Políticas sobre Drogas estão abertas. Esta segunda edição vai acontecer nos próximos dias 27 e 28, no auditório da Faculdade Arthur Sá Earp (FASE), e terá como tema principal “Sociedade, Álcool e Drogas: o que fazer? “.

O cadastro para todos os participantes serão realizadas até a próxima segunda-feira (16.04), das 9 às 16h, na sede da Casa dos Conselhos ou pelo site da prefeitura (www.petropolis.rj.gov.br). A eleição dos 42 delegados vai acontecer no dia 25, também na Casa dos Conselhos, às 18h, e se dará através de reunião de grupos das categorias, onde participarão os representantes credenciados das entidades participantes interessadas e a Comissão Organizadora da Conferência. Confira a programação da II Conferência:

 

Dia 27 de abril:

19h – Solenidade de Abertura – Boas Vindas

19h50 – Palestra de Abertura

 

Dia 28 de abril:

08h – 10h – Inscrição, credenciamento, coffee break.

08h30 – Leitura e Aprovação do Regimento da Conferência.

09h – Premiação do Concurso Logotipo do CMPD.

10h – Exposição das realizações do CMPD no período 2016/ 2018.

10h30 – Palestras – Eixos temáticos.

12h – Almoço.

13h – Retorno.

13h30 – Trabalho dos Eixos.

15h – Plenária.

16h30 – Eleição dos membros do CMPD.

17h30 – Encerramento.