Segundo pesquisa feita pela Ipsos em parceria com o professor Sérgio Lazzarini, do Insper, 70% dos brasileiros são contrários a ideia de privatizar estatais e apenas 17% são a favor. O percentual de quem é a favor cresce conforme a renda e a escolaridade aumentam, mas em nenhum dos segmentos chega a 1/3 da população.

Entre as classes A e B, 27% das pessoas são favoráveis às privatizações, a aprovação da medida entre as classes D e E cai para 9%. Entre os que terminaram o ensino superior, 28% são a favor da venda de estatais. Já entre os que não frequentaram escola, esse número cai para 7%. Foram entrevistadas 1.200 pessoas em 72 municípios do país na primeira quinzena de julho e a margem de erro é de três pontos percentuais.

“Dado que o Estado brasileiro está com um elevado déficit, é certo que as privatizações serão uma alternativa aventada com o objetivo de minimizar ou equacionar esse desajuste, mas boa parte da população dá sinais de ser contra, especialmente se considerarmos Petrobras, Caixa e Banco do Brasil”, afirma Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos Public Affairs.

O especialista não acredita que a população deva ir em peso para as ruas se manifestar contra as privatizações, mas que no entanto, um candidato que defenda esse tipo de medida tem grandes chances de perder votos, especialmente nas camadas mais desfavorecidas.

Por: Gabriel Malheiros