Foto: Pedro Souza / Atlético

11 vítimas de lesão corporal e desacato prestam queixa de argentinos, após confusão em jogo contra Atlético-MG.

A confusão aconteceu quando membros do Boca tentaram invadir o vestiário do Atlético, onde os árbitros haviam buscado proteção.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

De acordo com o delegado Henrique Miranda, o boletim de ocorrência da Polícia Militar indica que 13 pessoas foram vítimas de lesão corporal e desacato vindos da delegação do Boca, após partida contra o Atlético-MG, no Mineirão, nesta terça-feira. Mas apenas 11 compareceram à delegacia, entre seguranças, pessoas da delegação do Galo e funcionários da empresa que administra o estádio.

Dois jogadores do time argentino foram presos em flagrante por crime de dano qualificado e pagaram R$3 mil de fiança cada para serem liberados e poderem voltar ao seu país. Os integrantes do clube passaram a noite de terça e toda a manhã da quarta-feira na unidade policial, no bairro Alípio de Melo, na Região de Pampulha, em Belo Horizonte.

O Atlético-MG venceu o Boca Juniors nos pênaltis por 3 a 1, avançando para as quartas de final da Libertadores. Após o jogo, houve confusão nos bastidores, quando, de acordo com o presidente do Galo, Sérgio Coelho, os jogadores da equipe argentina tentaram invadir o vestiário do time mineiro, onde os árbitros da partida buscaram proteção.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.