10 dicas para negociar as dívidas do seu negócio Para você negociar com fornecedores, colaboradores, clientes e instituições financeiras

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Por Philippe de Castro Lourenço

 

Com o atual cenário, grande parte dos empresários estão sendo afetados por um período de grave crise de asfixia financeira.

É importante destacar, que em momento de força maior, é possível modificar os compromissos empresariais para que os negócios sobrevivam à pandemia, no entanto, não basta alegar, é preciso comprovar a seus fornecedores os prejuízos sofridos pela pandemia.

Neste momento, se faz necessário comprovar sua REAL necessidade, além de documentar toda negociação para dar a devida validade ao acordado, e, para auxiliá-lo, reunimos 10 dicas interessantes:

  1. Buscar esclarecimentos com um profissional habilitado, como por exemplo, advogado, contador ou administrador, para analisar as demandas prioritárias que possam impactar de forma negativa em suas finanças;
  2. Avaliar o quanto a empresa detém de ativo e passivo, analisar se neste momento, seria válido solicitar o adiantamento para cobranças via cartão de crédito e quais serão as taxas aplicadas pela instituição;
  3. Priorizar negociar com fornecedores em que uma perda do crédito poderá representar grande impacto para o seu negócio;
  4. Se houver pedidos realizados em aberto, se faz necessário cancelar antes que sejam faturados pela empresa fornecedora;
  5. Caso venha a ocorrer a negativa de negociação ou oferta de uma condição melhor para o pagamento, pode ser mais vantajoso contrair uma dívida nova em outro banco para quitar a dívida atual, desde que a nova dívida seja mais barata e tenha melhores condições de pagamento, aliviando o fluxo de caixa da sua empresa;
  6. Enviar a fornecedores, documentos e provas para demonstrar como a sua empresa foi atingida pela pandemia
  7. Sondar com o seu parceiro comercial, a postura do fornecedor com outros clientes em suas repactuações de dívidas;
  8. Utilizar meios de comunicação que possam registrar de forma documentada a repactuação das dívidas;
  9. Antes de iniciar uma negociação, analisar as atuais decisões judiciais e projetos de lei se houver sobre o tema de sua proposta, orientar-se e balizar os termos da negociação;
  10. Criar vantagens também à outra parte, utilizando o bom senso nas relações bilaterais.

Por fim, pensar que estamos vivendo um momento atípico, mas que em breve, tudo voltará a sua normalidade em sua empresa.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.