Um dos maiores sequestradores do Rio é preso pela Polícia Civil

O criminoso foi preso durante diligências no bairro Tijuca
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) prenderam em flagrante, na última segunda-feira (26), um dos maiores sequestradores do Rio de Janeiro. Segundo as investigações, o bandido, conhecido como “Gordo do Dendê”, possui 36 anotações criminais e foi preso 14 vezes nos últimos 15 anos. Ele era especializado em extorsão mediante sequestro e, também, assaltos em residências de luxo em bairros da Zona Norte e da Zona Sul.

O criminoso foi preso durante diligências no bairro Tijuca. Moradores da região testemunharam um sequestro e acionaram a Polícia Civil. Os agentes realizaram diligências e com apoio do setor de busca eletrônica da DRFC e orientações de uma equipe da Delegacia Antissequestro (DAS) monitoraram possíveis locais de pagamento do resgate. Durante a ação, os policiais prenderam o autor e libertaram o refém, que estava dentro de um veículo no estacionamento de um mercado. A vítima era um médico, que foi abordado quando entrava em seu prédio, na Tijuca. Após obrigá-lo a sacar R$ 3,5 mil, o sequestrador passou a exigir uma nova quantia para libertá-lo.

De acordo com os agentes, o acusado também atuava e roubava residências de alto padrão em diversos locais da capital. Em 2014, ele foi preso por policiais civis da 37ª DP (Ilha do Governador), que o apontaram como o autor de mais de 12 sequestros e roubos praticados naquela região. O criminoso também costumava agir em bairros com maior movimento de pessoas, como Tijuca, Méier e Engenho Novo.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Lei estimula empreendedorismo feminino no Estado do Rio

O objetivo é transformar as mulheres em líderes empreendedoras e estimular a elaboração de projetos como forma de viabilizar alternativas de trabalho e renda, além de estabelecer diretrizes para a criação de políticas públicas estaduais que possam gerar desenvolvimento econômico ao estado.

Comentários estão fechados.